segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Pesquisadores e estudantes protestam contra corte de 44% no orçamento para a ciência

Estudantes e pesquisadores protestam contra os cortes à pesquisa de 44% do governo Temer.
Fotos: Filipe Peres

Protestando contra o desmonte na ciência que vem acontecendo com os institutos, museus, universidades e projetos de bolsa de pesquisa, aconteceu neste domingo, 08,  com a presença de mais de 1000 pessoas, a 3a Marcha pela ciência, na Av. Paulista (SP). Com um corte de 44% do governo Temer em relação a este ano, pesquisadores e estudantes protestaram contra mais este ataque ao desenvolvimento e à soberania nacional.


"Se se cumprir o que está programado para 2018, a ciência brasileira vai sucumbir, deixar de existir. Com isso, nós passamos a ser totalmente dependentes. Não vamos ter mais saúde, não vamos ter mais tecnologia e vamos passar a ser dependentes do exterior como já fomos na década de 70", afirmou, lembrando a época de ostracismo da ciência brasileira durante o período da ditadura civil-militar,  Marcos Buckeridge, Presidente da ACIESP (Academia de Ciências do Estado de São Paulo).

Mais de 1000 pessoas participaram da passeata na Av. Paulista
O país, desde 2014, cortou 80% dos investimentos em ciência, sendo que destes, pelo menos 3 partes deste percentual aconteceu após o golpe de 2016: "Nós tínhamos 8 bilhões de reais de orçamento para a ciência em 2014. O legislativo, hoje, já tem 10 e, com os 2 bilhões da semana passada vai passar a ter 12, enquanto que a ciência vai ficar, somente, com 2 bilhões", finalizou o Presidente da ACIESP.

Veja a tabela de investimentos em ciência desde 2005:

Para 2018, governo prevê um investimento de, no máximo 2 bilhões de reais.


Veja o vídeo da passeata abaixo:




Mais fotos:





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os direitos humanos e a nossa vida. Por que defendê-los? Parte 2

No primeiro artigo da série "os direitos humanos e a nossa vida" ( que você pode ler aqui ) nós fizemos um apanhado sobre o hi...