domingo, 29 de abril de 2018

Incompetente e fracassado, golpismo requenta mentiras sobre Dilma!

O neoliberalismo golpista é incompetente e fracassado

"Tira a Dilma que melhora..." era o argumento fajuto do setor golpista especializado a produzir mentiras econômicas em benefício do 'mercado'.

Na época do impeachment, para esquentar ainda mais o clima de hostilidade criado contra uma Presidenta sabidamente honesta e que estava enfrentando uma enorme sabotagem de um Congresso controlado por Eduardo Cunha, Aécio Neves e Michel Temer, os instrumentos de propaganda golpistas e pagos pelo capital rentista inventaram uma série de mentiras econômicas sobre Dilma.


Não que Dilma não tenha errado na economia. Errou, principalmente no início de seu segundo mandato, quando resolveu dar aos abutres do 'mercado' e do golpe o controle da política econômica como tentativa de acordo para evitar o impeachment.

Mas as mentiras econômicas superaram de longe os erros reais da Presidenta.

Assim que o golpismo assumiu o governo, na parceria entre Temer e Aécio, PMDB e PSDB, o argumento fajuto era: "vamos arrumar a casa bagunçada...". Jogavam, desavergonhadamente, a culpa nos governos Lula e Dilma pelo caos causado pelo golpe.

Mas, na época colou, assim como colou a falsa narrativa 'anti-corrupção' martelada na mídia. O resultado foi o desastre eleitoral do PT nas eleições municipais de 2016.

Mas de lá para cá a coisa vem mudando. A narrativa falsa, seletiva de combate a corrupção está cada vez mais clara na cabeça do povo, assim como está o reconhecimento do povo do fracasso do governo golpista frente à economia.

Fracassados e incompetentes levaram o Brasil ao caos entre 2015 e 2016 com a política de sabotagem liderada pela trinca Cunha, Aécio, Temer contra Dilma. Fracassados e incompetentes mantiveram, a partir da aliança Temer/PSDB, o Brasil ladeira abaixo com medidas econômicas que frearam a economia e dizimaram o emprego.

A dívida pública que foi mantida nos governos Lula e Dilma abaixo dos 35% saltou em menos de dois anos para valores acima de 50% do PIB. Mesmo diante do corte drástico dos orçamentos públicos (que tem ocasionado a disparada da desigualdade social e ameaçado o SUS).

O desemprego saltou para 14% da PEA e o desempregado passa hoje, em média, um ano procurando nova vaga de trabalho.

A reforma trabalhista não gerou empregos e aumentou a precaridade do trabalho.

A pobreza disparou. Só no Estado de São Paulo já são mais de 750 mil miseráveis.

O rombo fiscal ameaça o investimento público, que este ano será o menor dos últimos 50 anos!

Diante deste retumbante fracasso e desta retumbante incompetência, cada vez mais identificados pelo povo, que sente saudades de Lula e dos governos do PT, onde havia empregos, aumento real do salário mínimo, investimento público, equilíbrio orçamentário (inclusive na Previdência) e inclusão social, as mentiras dos agentes desinformantes do golpe têm voltado à tona.

Tentam, de novo, jogar a culpa em Dilma.

A explicação é simples: ano eleitoral e o PT tem crescido em popularidade. 2018 pode ser o inverso de 2016.

Logo, é preciso começar a fustigar o PT.

É só observar que vai voltar a crescer nas notícias econômicas tentando isentar o desgoverno Temer/PSDB e culpar Dilma.

Faz parte do jogo.

Mas também faz parte do jogo o contra-ataque, ou seja, os institutos de formulação política e os economistas ligados aos partidos de esquerda e progressistas precisam apresentar os números reais ao povo, mostrando que durante 13 anos a economia desse país cresceu e gerou frutos sociais, ao contrário do desastre neoliberal apresentado pela turma golpista.

Ricardo Jimenez

Nenhum comentário:

Postar um comentário