quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

AARP, entidades, sindicatos e MST se unem em Ato em Defesa da Justiça do Trabalho

A dirigente estadual do MST Neusa Paviato
discursa durante o ato.
Fotos: MST
Ontem, terça-feira, 05, com a participação da AARPA(Associação de Advogados de Ribeirão Preto), entidades, sindicatos e o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), em frente ao Fórum do Trabalho, em Ribeirão Preto, foi realizado o primeiro Ato em Defesa da Justiça do Trabalho.

Opinião

Desde a reforma trabalhista de Temer, que precarizou absurdamente a relação empregador-empregado, deixando este a mercê daquele, que se observa um desmonte dos direitos trabalhistas da classe operária.

Como anunciado em seu plano de governo, a carteira verde-amarela será a materialidade desta perda de direitos. Com o fechamento do Ministério do Trabalho e, agora, a extinção da Justiça do Trabalho, os trabalhadores, praticamente, não terão proteção contra a opressão do mercado.

Um ponto chamado no ato de ontem é a inconstitucionalidade da proposta, uma vez que o fechamento da JT é um atentado ao princípio da separação dos Poderes, pois a iniciativa advém de outro poder (nesse caso, o executivo decidindo pelo judiciário).



O ato contou com a participação de mais de 100 pessoas e a tendência, à medida que a população for se conscientizando do real perigo, é de que mais pessoas se juntem à pauta, que não é só dos advogados e juizes, mas de toda a sociedade, toda a classe trabalhadora, inclusive deles.

Nenhum comentário:

Coronavírus: boas notícias com mais médicos e vacinas Por Alexandre Padilha

Hoje vamos falar de duas boas notícias da semana: a volta dos médicos cubanos e perspectivas de vacinas contra covid-19. Em meio às notícias...