sábado, 18 de janeiro de 2020

Comunidade escolar do CAIC do José Sampaio denuncia demissão de diretora

CAIC Antônio Palocci, no José Sampaio, zona oeste de Ribeirão Preto
Nesta sexta-feira o Blog O Calçadão foi procurado por representantes da comunidade escolar do CAIC Antônio Palocci, localizado no bairro do José Sampaio, zona oeste de Ribeirão Preto. Segundo as informações, há um processo de denúncia (veja Carta de Repúdio anexa no final do texto) por parte da comunidade escolar contra a demissão da diretora Cristian Louise Vallin do Valle por parte da Secretaria de Educação do município.

Segundo relatos, há indícios de perseguição política por parte da Prefeitura pois a diretora "bateria de frente" com a administração em defesa da educação pública e em defesa do CAIC.

Só para relembrar, durante o ano de 2019 a escola CAIC teve uma série de problemas de infraestrutura denunciados pela mesma comunidade escolar e teve suas aulas suspensas pela Justiça até que o Poder Público providenciasse as obras necessárias para dar segurança ao seu correto funcionamento. Nesse período, segundo as informações, a atuação da diretora Cristian teria sido fundamental.

Para ser escolhida diretora, Cristian passou por um processo seletivo com análise de currículo, apresentação de projeto pedagógico e eleição pela comunidade escolar.

Uma mãe de aluno afirmou ao Blog que "trata-se de uma injustiça que fizeram contra uma pessoa que vestiu a camisa da comunidade e salvou a vida dos nossos filhos. A diretora Cristian fez o papel dela muito bem feito e foi exonerada de seu cargo sem uma explicação plausível".

Confira abaixo a carta de repúdio divulgada pela comunidade escolar e enviada ao Blog O Calçadão.


CARTA DE REPÚDIO

Nós, professores, funcionários, pais, alunos e comunidade, da EMEF do Caic Antônio Palocci, vimos por meio desta manifestar nossa indignação à decisão arbitrária da Secretaria Municipal da Educação de exoneração da diretora Cristian Louise Vallim do Valle, expressa no Diário Oficial do Município no dia 10 de janeiro de 2020.
No final do ano de 2018, em decorrência da aposentadoria de Elídia Aparecida de Oliveira Dias, vagou o cargo de diretor na escola EMEF Caic Antônio Palocci e, para suprir tal vaga, houve um processo de escolha de direção, democrático, cumprindo todas as exigências e etapas, estabelecidas pela Secretaria Municipal de Educação, nas quais uma delas seria escolha da direção pelo conselho de escola e comunidade. Após todo esse processo, foi eleita, democraticamente, Cristian Louise Vallim do Valle como diretora da escola.
Desde então, Cristian assumiu seu cargo e desempenhou seu papel com muita competência e coragem, seja no enfrentamento da realidade das condições estruturais do prédio, com iminente risco de incêndio e, possível, perdas de vidas humanas, o que desencadeou todo o processo de interdição e, posteriormente, reposição dos dias parados com seus respectivos conteúdos; seja no resgate da qualidade da educação oferecida pela instituição, melhorando o gerenciamento das condições de trabalho dos professores, cozinheiros, funcionários; liderando e motivando toda sua equipe; estruturando e organizando a escola de tal forma que os alunos percebessem as mudanças e os novos objetivos de ensino-aprendizagem e contribuíssem não só melhorando seu desempenho educacional como também ajudassem nessa construção de uma escola melhor.
Enfim, por todo o trabalho desenvolvido com garra, determinação, esforço e empenho em prol da melhoria da educação pública em nossa comunidade, nós repudiamos a decisão de sua exoneração de Cristian Louise Vallim do Valle e solicitamos sua recondução ao cargo de diretora da EMEF do CAIC Antônio Palocci.

3 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
FELICIA OLIVEIRA CORREIA disse...

Parabéns aos pais, professores, funcionários e comunidade que estão se mobilizando em Defesa a Escola Pública. Segundo eles a Escola Municipal CAIC estava tendo uma ótima gestora, a diretora Cristian, e parece q arbitrariamente foi exonerada por ser corajosa, e no início do ano passado reuniu a comunidade e Conselho de Escola, denunciando as péssimas condições da escola q colocava os alunos em risco de vida. Em seguida a escola teve seu atendimento suspenso pelo Ministério Público para manutenção do prédio. Parece que os governos representados por seus políticos (Partidos) não querem gestores sérios, responsáveis e q cumprem a Lei. Já passei por isto como gestora q fui por quase 10 anos, e, mesmo pertencendo a um partido político, passei por 3 governos diferentes. E uma coisa comum entre eles é que todos exigem q os gestores rezem a cartilha política de sua administração/partido coligação. Até q durei muito e sei das consequências e sequela q isso me causou. Sai de cabeça erguida porque sempre dizia aos funcionários q nossos salários eram pagos pelo povo q pagam nossos salários. Então espero esse caso e o da Eponina e outros se houverem, seja feita a JUSTIÇA e tb a vontade da maioria da Comunidade Escolar q tenho certeza, tem competência pra avaliar o trabalho de seus gestores e tb tem o direito de querer o melhor para seus filhos e filhas.

Unknown disse...

Infelizmente o executivo ainda não aprendeu o que significa gestão participativa. Quando o gestor pensa na comunidade e quer o melhor, ele aproxima pra conversar e a maioria decide. Afinal, quem paga tudo é somente o contribuinte.

Movimento de Ribeirão Preto lança Manifesto em defesa da democracia

                                        Ribeirão Preto, SP, 05 de junho de 2020. “O movimento que produz tanto pavor nos "gorilas"...