quarta-feira, 31 de outubro de 2018

É PRECISO RESISTIR, PROPOR E AGIR



É preciso mais Paulo Freire e menos Mark Zuckerberg
Foto: Filipe Peres



Por Daniel Cara

Alguns dias depois do segundo turno, partidos e líderes da centro-esquerda e da esquerda batem cabeça sobre o protagonismo pós-eleitoral. Insistem em repetir os mesmos erros.

Gestão Marielle Franco: Centro Acadêmico Rocha Lima - FMRP USP




Diante da atual conjuntura do Brasil marcada pelo aumento do ódio e da represália às minorias, que vêm ganhando cada vez mais legitimidade com a representação de Jair Bolsonaro –candidato eleito para presidência da República nessas eleições de 2018-, faz-se importante a mobilização e a inspiração trazida pelos heróis e heroínas que lutaram e continuam lutando por um Brasil mais justo, com igualdade e equivalência entre todxs xs cidadãxs. Nesse contexto, surge a figura da vereadora e militante Marielle Francisco da Silva, conhecida como Marielle Franco, que foi brutalmente assassinada em março de 2018. 

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Este blog acredita na força da mulher brasileira!


Este blog acredita na possibilidade de superação do atual cenário em que vivemos, onde o debate público está interrompido pela imposição da força, dos gritos e por um conjunto gigantesco de fake news que domina a troca de mensagens silenciosas no mundo digital, principalmente em grupos de whatsapp.

E acreditamos que esta superação ainda conta com o protagonismo das mulheres. Mulheres trabalhadoras, profissionais liberais, chefes de família, donas de casa, artistas, intelectuais, servidoras públicas, sindicalistas, agricultoras, lutadoras de todos os dias.

Precisamos retomar a importância da democracia, do debate público, do confronto livre, franco e honesto de ideias, posturas e argumentos.

Precisamos reconstruir um país de convivência pacífica e democrática entre todos, inclusive entre os diferentes e os que pensam diferente.

Um país que invista em educação, em saúde, que proteja as crianças e os idosos e que garanta a segurança e dê a garantia de vida e liberdade para todos.

Um país onde a força da lei e da palavra seja mais forte que a força da coação, do destempero e da violência. Onde para uma criança, um brinquedo e um livro sejam mais importantes que uma arma.

Precisamos retomar um país onde todos tenham a esperança, a capacidade da solidariedade e de enfrentar os problemas buscando soluções baseadas no estudo, na experiência e, principalmente, na transparência e no debate público.

Precisamos proteger a nossa democracia.



Que os homens se somem à essa causa!

Não há força maior neste país para protagonizar esse desafio do que a força da mulher brasileira!


Blog O Calçadão

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Atentos às eleições brasileiras, jornalistas da France TV vêm a Ribeirão Preto entrevistar e ouvir lideranças do MST



Jornalistas do mundo inteiro estão preocupados com o crescimento da ultra-direita no país
Fotos e vídeo: Filipe Peres.

Ao contrário da visão neofascista que o candidato do PSL à Presidência da República possui em relação ao MST, jornalistas do mundo inteiro têm o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra como referência de luta democrática e popular no mundo. E justamente por esta referência que jornalistas da TV France, do programa "C dans l'air" vieram a Ribeirão Preto entrevistar lideranças do Movimento sobre as eleições presidencais e conhecer um pouco do trabalho que o Assentamento Mário Lago realiza em sua Floresta Agroecológica.

Por meio do teatro documental, peça Fome.Doc faz crítica à estrutura capitalista e, depois, oferece roda de conversa com a presença do MST

Fernanda Azevedo e Renan Rovida em cena da peça Fome.Doc
Fotos: Filipe Peres
Com roteiro e direção geral de Fernando Kinas, tendo em seu elenco a atriz Fernanda Azevedo, o ator Renan Rovida e o músico Eduardo Contera, Fome. Doc, peça teatral  da Cia de Teatro Kiwi, de São Paulo, apresentou-se nesta quinta-feira, 25, no SESC/Unidade Ribeirão Preto. Utilizando-se da temática da fome, a Cia apresentou em 1:40m, por meio de representações das duas pontas da cadeia (explorador/explorado) reflexões sobre a incapacidade do sistema capitalista de atender as necessidades mais básicas do ser humano.

Os movimentos sociais são o coração da democracia, precisamos defendê-los!

Eu, Ricardo Jimenez, ao lado da amiga Neusa Paviato,
no aniversário do Acampamento Paulo Botelho.
Amizade, compromisso com a democracia e afetos.

Eu não posso aceitar a tentativa de criminalização dos movimentos sociais.


A existência dos movimentos sociais significa que o coração da democracia ainda bate. 

Criminalizar os movimentos sociais e tentar impedir a sua livre existência é projetar uma sociedade silenciosa, reprimida, falsa e fadada ao fracasso.

São os movimentos sociais, com seus acertos e erros, como tudo na vida, que fazem a sociedade se movimentar, olhar para si mesma, debater a sua existência, corrigir os seus rumos, ser democrática.

Os movimentos precisam existir e discutir todos os dias a moradia, os direitos de minorias, o meio ambiente, a segurança, a educação, a saúde, a reforma agrária. Precisam discutir tudo!

Meu coração se entristece e sangra só de pensar que um governo, pela força ou pela campanha de ódio, pode vir a calar os movimentos sociais. 

Nesse dia, o Sol da democracia se apagará.

E quero aqui falar especificamente da minha experiência como jornalista junto ao MST.

Eu frequento os acampamentos e assentamentos do MST há 4 anos. Conheço e sou amigo de todos. 

São trabalhadores e trabalhadoras à procura de terra em um país onde a posse da terra, assim como a renda, é vergonhosamente concentrada. São trabalhadores e trabalhadoras que enfrentam uma luta historicamente violenta no Brasil.

Nos acampamentos e assentamentos eu já vi enxadas, já vi cadernos e canetas, já vi sonhos, já vi sorrisos e choro, já vi festas e mobilizações, mas nunca vi uma arma ou ouvi um discurso de ódio.

Aqui em Ribeirão Preto, sem contar com a ajuda necessária do poder público, o Assentamento Mário Lago produz cestas com alimentos agroflorestais, sem agrotóxicos, que qualquer pessoa pode adquirir.

Também estão de braços abertos para receber a todos lá na fazenda da Barra.


Por que não sonhar como uma Ribeirão Preto onde a agricultura familiar seja valorizada e apoiada a ponto de os alimentos chegarem na merenda escolar e na mesa das pessoas?

Para isso, basta que os movimentos sociais sejam convidados ao diálogo e à participação em um projeto de cidade.

Nos assentamentos também funcionam as escolas da reforma agrária, regidas sob a legislação do MEC, dando um exemplo de que é possível retomar com qualidade as escolas rurais, dizimadas por falta de apoio público.


Erros e acertos todos nós temos, mas chamar essas pessoas de "terroristas" ou dizer que as escolas da reforma agrária são "fábricas de terroristas" é de uma desonestidade sem limites.


Tentar criminalizar um movimento social enquanto leva para o poder a cúpula dos latifundiários e desmatadores da Amazônia, inclusive ameaçando as terras indígenas, mostra claramente o que representa esse projeto.


O Brasil precisa fazer a reforma agrária, fortalecer a agricultura familiar que produz alimentos para a população e fazer com que o agronegócio tenha a regulamentação necessária para existir preservando o meio ambiente.


Ainda há tempo.


Ricardo Jimenez

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

O espantalho que encobre a perigosa ausência do debate público!


A política brasileira está no fundo do poço. O pacto democrático de 1988 ruiu, está moribundo e um período de retrocesso em todos os sentidos nos espreita.

Mesmo se uma virada de Haddad na eleição de domingo ocorrer, a situação do país permanecerá dificílima.

Os espantalhos que foram construídos desde 2013 disseminaram o ódio e a falsa perseguição a um inimigo comum gerou a perigosa interrupção do debate público.

Desde o impeachment de 2016, que começou em 2014 com a não aceitação da derrota eleitoral por parte de Aécio Neves, que o tema "corrupção" domina o debate eleitoral.

Um tema tratado de maneira seletiva e direcionado a construir um "inimigo público".

E este ano isto chegou ao cúmulo de nem debate eleitoral existir.

Como o que existe é a política do "nós contra eles", só o que vale é o grito, a mentira, a manipulação, o xingamento e a desqualificação do outro.

"O PT é corrupto", "não se debate com ladrões", "discutir saúde, educação, emprego para quê? Temos que combater a corrupção e a ameaça comunista, da esquerda". Esse é o 'debate' do momento.

Perigoso.

Essa narrativa proposital, construída no subterrâneo das redes sociais, esconde a total falta de compromisso público com assuntos que realmente interessam ao futuro do país.

Como resolver a questão da economia? Do endividamento público? Do desenvolvimento? Da industrialização? Da educação? Da saúde? Da ciência e tecnologia? Da aposentadoria? Da geração de renda? Da inserção do Brasil no mundo?

Quais números devem ser debatidos com a opinião pública? Quais propostas devem ser conhecidas e firmadas publicamente?

Se nada disso acontece, o que de fato se está fazendo é assinar um cheque em branco para um governo.

Se o debate e os compromissos públicos são obstruídos, com o que de verdade se compromete o futuro governo? Quais são seus reais compromissos?

O Brasil está cindido, a justiça e a mídia estão em silêncio diante da ausência do debate público e das ameaças diárias contra a vida, a liberdade das pessoas e a própria democracia.

Pela primeira vez depois da ditadura, brasileiros foram ameaçados de "exílio ou cadeia" por seus posicionamentos políticos. O próprio STF foi ameaçado.

A Constituição de 1988 parece que já é apenas algo decorativo.

O povo e o futuro do Brasil estão hoje à deriva.

Blog O Calçadão


sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Em sessão especial, Cine-Clube Cauim exibe "Uma noite de 12 anos" ao MST

A fala do General nos remete aos dias atuais.
Fotos: Filipe Peres 


O Cine-formação, um projeto do Cine-clube Cauim, apresentou, ontem, 18, uma sessão fechada do filme "Uma noite de 12 anos", aos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

O debate de ideias é também a defesa da democracia


A recusa ao debate exclui o povo do acesso às informações e da verificação das propostas. 
Foto: Filipe Peres

Por Simone Magalhães

A corrida presidencial de 2018 já deixou a sua marca na história brasileira. Se nas eleições anteriores candidatos possuíam propostas, às vezes, similares, o que se verifica neste segundo turno são dois projetos de país radicalmente opostos apresentados à sociedade brasileira, representados pelas candidaturas de Fernando Haddad 13 e Jair Bolsonaro 17. 

Tempos




Diferentes formas de perceber o tempo:

1. o tempo glacial
que me passa e não percebo
formação rochosa em minha alma
lava enrijecida pelo tempo em meu corpo
minha morte.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Essa é a vida que queremos?

"Us and Them" descreve aspetos da luta de classes.
Fotos: Edgar Oliveira

Por Edgar Oliveira


Essa é a vida que realmente queremos?
Conhecendo Roger Waters, seu trabalho realizado no Pink Floyd, suas letras, sua história de vida, seu olhar clínico e seu posicionamento crítico e contundente sobre fenômenos de ordem político-sociais, seria fácil prever que o homem de 75 anos que perdeu o avô para a primeira guerra e o pai para a segunda não iria se abster. Esse respeitável senhor que há décadas divide conosco suas frustrações e traumas, causou muito incômodo às inabaláveis estruturas da elite paulistana.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

A Bela Adormecida


Mulheres durante ato contra Bolsonaro,
em Ribeirão Preto.
Foto: Filipe Peres

Por Taís Roxo

Sim, nós acordamos! A Mulher brasileira está na rua ocupando o seu lugar e exigindo o respeito aos direitos de igualdade mitigados há séculos de história. 

Equipe técnica, ligada ao Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, está desenvolvendo estudo para a elaboração de políticas públicas que atendam as mulheres em Ribeirão Preto.

Equipe técnica está realizando estudo profundo e técnico para propor Políticas Públicas paras as Mulheres, em Ribeirão Preto. Fotos: Sil...