terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Entrevista exclusiva com o deputado federal eleito Alexandre Padilha!


Leia a entrevista exclusiva que o Ex-Ministro da Saúde e atual deputado federal eleito pelo Estado de São Paulo Alexandre Padilha concedeu ao Blog O Calçadão.

1. Qual sua análise e suas perspectivas após o processo eleitoral com a vitória do candidato da extrema-direita prometendo uma pauta de retrocessos nos direitos sociais aliada a uma pauta ultra-neoliberal?


A atitude irresponsável e truculenta do Presidente eleito na condução da questão do Programa Mais Médicos, antes mesmo de assumir, deixando milhões de brasileiros sem médicos em suas unidades de saúde, sem construir um plano de transição, sem discutir com parceiros internacionais da estatura da Organização Pan Americana de Saúde, mostra que o futuro governo não terá nenhum compromisso com relação aos direitos sociais, com a população mais pobre, com as políticas públicas no país.
Eu diria que o Presidente eleito combina dois grandes movimentos, um é uma tentativa quase impulsiva de cortar investimentos públicos, investimentos sociais e acabar com a ideia de direitos, como se eles não tivessem tempo a perder. Eu chamo esse movimento de neoliberalismo regressivo com um outro movimento de obscurantismo ostentação. Ele e seus seguidores têm orgulho de mostrar que são obscurantistas. Acho que nós devemos esperar um período de muita luta política e mostrar que a luta política pode conseguir vitórias. O obscurantismo ostentação combinado com o neoliberalismo regressivo (pode ser derrotado). Assim como foi feito na luta contra a censura nas escolas agora nessa legislatura, a nossa luta e a nossa mobilização podem impedir a regressão neoliberal desse governo e a regressão dos direitos sociais e individuais pelo obscurantismo ostentação.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Cantor Otto realiza show na Ocupação 9 de Julho, do MSTC, em São Paulo

Otto (50) durante seu show, ontem.
Fotos: Filipe Peres


O cantor e compositor pernambucano, Otto, 50 anos, realizou, ontem, show beneficente, na Ocupação 9 de Julho, do MSTC (Movimento Sem Teto do Centro). A intenção, além da arrecadação de fundos, foi confraternizar mais um ano de lutas.

sábado, 15 de dezembro de 2018

MOVIMENTO SLOW FOOD BRASIL, POR MEIO DO PROJETO CARACOL, DESENVOLVE OFICINA E GRAVA DOCUMENTÁRIO NO ACAMPAMENTO PAULO BOTELHO, DO MST, EM RIBEIRÃO PRETO.

A chef de cozinha Adriana ministra oficina ecoculinária de biomassa de banana no Acampamento Paulo Botelho.
Fotos: Filipe Peres



Acompanhados de um nutricionista (Rafael), uma chef de cozinha (Adriana), uma produtora audiovisual (Sandra/Vagaluzes Filmes), uma ecóloga (Marina) e um educador alimentar, (Fúlvio), que tem como função realizar o fortalecimento de transições agroecológicas e CSA (Comunidades que Sustentam a Agricultura), trazendo o “Projeto Caracol: Fortalecimento, Autonomia e Participação Social de Comunidades Produtoras de Alimentos Locais”, os militantes do Movimento Slow Food Brasil, visitaram neste sábado, 15/12, em Ribeirão Preto (318 km de São Paulo), o Acampamento Paulo Botelho, situado no Assentamento Mário Lago, do MST, para trocarem experiências agroecológicas e agroalimentares com os trabalhadores rurais sem-terra.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Festa e cavalgada marcam as comemorações de aniversário da Rádio Camponesa


Cavalgada celebrou os 20 anos da Rádio Camponesa.
Fotos: Filipe Peres.

Por  Coletivo de Comunicação MST - SP
Da Página do MST


Quem chega à festa de aniversário da Rádio Camponesa e encontra toda a mística do MST presente no espaço pode não ter a dimensão do trabalho envolvido nessa comemoração, trabalho este que não se resume à última semana de preparativos, mas que traz todo o histórico de 20 anos ocupando o latifúndio do ar e rompendo as
cercas da mídia tradicional.


terça-feira, 27 de novembro de 2018

Segunda Audiência Pública para "discutir" um novo Plano Municipal de Educação é realizada

O Dirigente Estadual pela APEOESP, Fábio Sardinha,
fala durante a audiência.
Foto: Filipe Peres
Mais uma vez posta em um horário difícil à participação popular, realizou-se, nesta terça-feira, à tarde, no Teatro Auxiliadora, a segunda audiência pública para "debater" o "novo" PME. Como já era esperado, devido ao horário proibitivo, houve pouca adesão de profissionais da educação. 

domingo, 25 de novembro de 2018

Acampamento Alexandra Kollontai, do MST, planta 250 mudas nativas em área de preservação


Acampados realizaram ato de reflorestamento, em Serrana/SP.
Fotos: Filipe Peres

O acampamento Alexandra Kollontai, do MST, localizado no município de Serrana/SP (24 km de Ribeirão Preto/SP), realizou neste sábado, 25, o plantio de 250 mudas nativas em um raio de 50 metros da nascente de uma mina. A ação visa a sua preservação. Outro objetivo dos acampados é recuperar a floresta outrora existente naquele local.

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Declaração do Ministério da Saúde Pública de Cuba sobre o fim do programa Mais Médicos


Médico cubano em área remota pelo Programa Mais Médicos.
Fotos: Araquem Alcântara



Tradução: Filipe Peres

Declaração do Ministério da Saúde Pública

Fonte: Ministério da saúde pública de Cuba ,14 de novembro 2018

Ministério da Saúde Pública de Cuba

o Ministério da saúde pública da República de Cuba, comprometido com os princípios solidários e humanistas que durante 55 anos têm guiado a cooperação médica cubana, participa desde a sua criação em agosto de 2013, do programa mais médico para o Brasil. A iniciativa de Dilma Rousseff, na época Presidente da República Federativa do Brasil, teve o nobre propósito de garantir atendimento médico ao maior número da população brasileira, em correspondência com o princípio da cobertura universal de saúde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) promove.

sábado, 10 de novembro de 2018

O Calçadão 4 anos: um ciclo se fecha, um novo ciclo se abre!



O blog O Calçadão completará 4 anos dia 19 de dezembro próximo. 

Foram 4 anos ininterruptos no ar, com matérias novas todos os dias.

Criamos o blog para buscarmos contribuir com o debate político, discutir a cidade, trazer as pautas dos movimentos populares e consolidar a existência de uma mídia alternativa e digital em Ribeirão Preto.


Foram 2.153 postagens (996 sobre política, 464 sobre Ribeirão Preto e o restante sobre os mais diversos assuntos).

Ultrapassamos os 9500 seguidores em nossa página no facebook e criamos nosso canal no youtube e nossa conta no twitter.

Foram, até o momento, 1 milhão 547 mil visualizações.

Entrevistamos quase uma centena de pessoas de destaque municipal, estadual e nacional. Contribuímos para o debate em todas as questões relevantes da cidade e do país.

Cobrimos todos os eventos políticos e populares importantes do período. Cobrimos diariamente todas as greves e mobilizações dos servidores municipais ocorridas no período.

Conquistamos o respeito e o prestígio diante dos mais diversos movimentos populares, lideranças e partidos políticos.

Aprendemos muito e ainda estamos aprendendo.

Mas, acima de tudo, cumprimos nosso papel.

Ao fecharmos esse quarto ano de existência, fechamos um ciclo para abrirmos outro.

Vem aí o blog O Calçadão renovado, com novas plataformas digitais, com novas pautas, nova linguagem, avanços tecnológicos, mais interação com os seguidores e mais conexão entre as diversas mídias sociais, mas com a mesma pegada popular e democrática.

Estaremos ainda mais próximos de Ribeirão Preto, do povo e dos movimentos de Ribeirão Preto, falando de assuntos que interessam a toda população.

Precisamos estar preparados e renovados para esse novo ciclo, onde a nossa responsabilidade com a democracia e com as reivindicações do povo será redobrada.

Agradecemos a cada um que nesses 4 anos nos deram a honra de sua presença e estamos cheios de motivação para seguirmos caminhando na construção deste blog.

Contamos com cada um de vocês para continuarmos crescendo.

As novidades chegarão em breve.

Em frente!

domingo, 4 de novembro de 2018

Ser memória e fazer história

Ato pela Democracia.
Fotos: Filipe Peres

Por Kelli Mafort

Na companhia de um querido camarada fiz um passeio na capital paulista revisitando as memórias da ditadura. 

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

O neoliberalismo avança fortemente no Brasil e no mundo!


O neoliberalismo é a estrutura político-econômico-ideológica do grande capital transnacional, das grandes corporações financeiras e empresariais que atuam no mundo de maneira monopolista.

O neoliberalismo existe desde meados dos anos 1980 e tem buscado se moldar às realidades políticas para tentar influenciar as decisões e legislações dos Estados nacionais para, assim, drenar para si, ou seja, para um seleto conjunto de mega-investidores e grandes corporações financeiras, através dos juros da dívida pública, das privatizações e dos fundos de previdência, as riquezas geradas pelos países.

Sua ação se dá em nível mundial, sempre apoiada na grande mídia empresarial, nos interesses dos grandes bancos de investimento e no campo político atrelado a seus interesses.

Seu adversário é o modelo social democrata, o modelo de bem-estar social desenvolvido principalmente na Europa após a segunda guerra mundial e espalhado por alguns países do mundo.

O modelo de bem-estar social propõe a coexistência de uma economia de livre mercado e de políticas públicas que promovam a distribuição de renda, impeçam o aumento da desigualdade social e promovam um desenvolvimento econômico ambientalmente sustentável.

O modelo de bem-estar social cobra das grandes corporações financeiras uma contribuição, na forma de impostos, para criar um colchão social e financiar o desenvolvimento nacional.

O modelo de bem-estar social está na base de algumas propostas desenvolvidas no âmbito da ONU, como a Agenda 21, por exemplo.

Contra isso, nos últimos 30 anos, as forças representantes do neoliberalismo vêm atuando nos países disputando o poder político ou disputando a hegemonia do pensamento através, principalmente, da mídia empresarial.

É o tão famoso modelo de "pensamento único" tão propalado nos anos 1990.

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

É PRECISO RESISTIR, PROPOR E AGIR



É preciso mais Paulo Freire e menos Mark Zuckerberg
Foto: Filipe Peres



Por Daniel Cara

Alguns dias depois do segundo turno, partidos e líderes da centro-esquerda e da esquerda batem cabeça sobre o protagonismo pós-eleitoral. Insistem em repetir os mesmos erros.

Gestão Marielle Franco: Centro Acadêmico Rocha Lima - FMRP USP




Diante da atual conjuntura do Brasil marcada pelo aumento do ódio e da represália às minorias, que vêm ganhando cada vez mais legitimidade com a representação de Jair Bolsonaro –candidato eleito para presidência da República nessas eleições de 2018-, faz-se importante a mobilização e a inspiração trazida pelos heróis e heroínas que lutaram e continuam lutando por um Brasil mais justo, com igualdade e equivalência entre todxs xs cidadãxs. Nesse contexto, surge a figura da vereadora e militante Marielle Francisco da Silva, conhecida como Marielle Franco, que foi brutalmente assassinada em março de 2018. 

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Este blog acredita na força da mulher brasileira!


Este blog acredita na possibilidade de superação do atual cenário em que vivemos, onde o debate público está interrompido pela imposição da força, dos gritos e por um conjunto gigantesco de fake news que domina a troca de mensagens silenciosas no mundo digital, principalmente em grupos de whatsapp.

E acreditamos que esta superação ainda conta com o protagonismo das mulheres. Mulheres trabalhadoras, profissionais liberais, chefes de família, donas de casa, artistas, intelectuais, servidoras públicas, sindicalistas, agricultoras, lutadoras de todos os dias.

Precisamos retomar a importância da democracia, do debate público, do confronto livre, franco e honesto de ideias, posturas e argumentos.

Precisamos reconstruir um país de convivência pacífica e democrática entre todos, inclusive entre os diferentes e os que pensam diferente.

Um país que invista em educação, em saúde, que proteja as crianças e os idosos e que garanta a segurança e dê a garantia de vida e liberdade para todos.

Um país onde a força da lei e da palavra seja mais forte que a força da coação, do destempero e da violência. Onde para uma criança, um brinquedo e um livro sejam mais importantes que uma arma.

Precisamos retomar um país onde todos tenham a esperança, a capacidade da solidariedade e de enfrentar os problemas buscando soluções baseadas no estudo, na experiência e, principalmente, na transparência e no debate público.

Precisamos proteger a nossa democracia.



Que os homens se somem à essa causa!

Não há força maior neste país para protagonizar esse desafio do que a força da mulher brasileira!


Blog O Calçadão

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Atentos às eleições brasileiras, jornalistas da France TV vêm a Ribeirão Preto entrevistar e ouvir lideranças do MST



Jornalistas do mundo inteiro estão preocupados com o crescimento da ultra-direita no país
Fotos e vídeo: Filipe Peres.

Ao contrário da visão neofascista que o candidato do PSL à Presidência da República possui em relação ao MST, jornalistas do mundo inteiro têm o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra como referência de luta democrática e popular no mundo. E justamente por esta referência que jornalistas da TV France, do programa "C dans l'air" vieram a Ribeirão Preto entrevistar lideranças do Movimento sobre as eleições presidencais e conhecer um pouco do trabalho que o Assentamento Mário Lago realiza em sua Floresta Agroecológica.

Por meio do teatro documental, peça Fome.Doc faz crítica à estrutura capitalista e, depois, oferece roda de conversa com a presença do MST

Fernanda Azevedo e Renan Rovida em cena da peça Fome.Doc
Fotos: Filipe Peres
Com roteiro e direção geral de Fernando Kinas, tendo em seu elenco a atriz Fernanda Azevedo, o ator Renan Rovida e o músico Eduardo Contera, Fome. Doc, peça teatral  da Cia de Teatro Kiwi, de São Paulo, apresentou-se nesta quinta-feira, 25, no SESC/Unidade Ribeirão Preto. Utilizando-se da temática da fome, a Cia apresentou em 1:40m, por meio de representações das duas pontas da cadeia (explorador/explorado) reflexões sobre a incapacidade do sistema capitalista de atender as necessidades mais básicas do ser humano.

Os movimentos sociais são o coração da democracia, precisamos defendê-los!

Eu, Ricardo Jimenez, ao lado da amiga Neusa Paviato,
no aniversário do Acampamento Paulo Botelho.
Amizade, compromisso com a democracia e afetos.

Eu não posso aceitar a tentativa de criminalização dos movimentos sociais.


A existência dos movimentos sociais significa que o coração da democracia ainda bate. 

Criminalizar os movimentos sociais e tentar impedir a sua livre existência é projetar uma sociedade silenciosa, reprimida, falsa e fadada ao fracasso.

São os movimentos sociais, com seus acertos e erros, como tudo na vida, que fazem a sociedade se movimentar, olhar para si mesma, debater a sua existência, corrigir os seus rumos, ser democrática.

Os movimentos precisam existir e discutir todos os dias a moradia, os direitos de minorias, o meio ambiente, a segurança, a educação, a saúde, a reforma agrária. Precisam discutir tudo!

Meu coração se entristece e sangra só de pensar que um governo, pela força ou pela campanha de ódio, pode vir a calar os movimentos sociais. 

Nesse dia, o Sol da democracia se apagará.

E quero aqui falar especificamente da minha experiência como jornalista junto ao MST.

Eu frequento os acampamentos e assentamentos do MST há 4 anos. Conheço e sou amigo de todos. 

São trabalhadores e trabalhadoras à procura de terra em um país onde a posse da terra, assim como a renda, é vergonhosamente concentrada. São trabalhadores e trabalhadoras que enfrentam uma luta historicamente violenta no Brasil.

Nos acampamentos e assentamentos eu já vi enxadas, já vi cadernos e canetas, já vi sonhos, já vi sorrisos e choro, já vi festas e mobilizações, mas nunca vi uma arma ou ouvi um discurso de ódio.

Aqui em Ribeirão Preto, sem contar com a ajuda necessária do poder público, o Assentamento Mário Lago produz cestas com alimentos agroflorestais, sem agrotóxicos, que qualquer pessoa pode adquirir.

Também estão de braços abertos para receber a todos lá na fazenda da Barra.


Por que não sonhar como uma Ribeirão Preto onde a agricultura familiar seja valorizada e apoiada a ponto de os alimentos chegarem na merenda escolar e na mesa das pessoas?

Para isso, basta que os movimentos sociais sejam convidados ao diálogo e à participação em um projeto de cidade.

Nos assentamentos também funcionam as escolas da reforma agrária, regidas sob a legislação do MEC, dando um exemplo de que é possível retomar com qualidade as escolas rurais, dizimadas por falta de apoio público.


Erros e acertos todos nós temos, mas chamar essas pessoas de "terroristas" ou dizer que as escolas da reforma agrária são "fábricas de terroristas" é de uma desonestidade sem limites.


Tentar criminalizar um movimento social enquanto leva para o poder a cúpula dos latifundiários e desmatadores da Amazônia, inclusive ameaçando as terras indígenas, mostra claramente o que representa esse projeto.


O Brasil precisa fazer a reforma agrária, fortalecer a agricultura familiar que produz alimentos para a população e fazer com que o agronegócio tenha a regulamentação necessária para existir preservando o meio ambiente.


Ainda há tempo.


Ricardo Jimenez

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

O espantalho que encobre a perigosa ausência do debate público!


A política brasileira está no fundo do poço. O pacto democrático de 1988 ruiu, está moribundo e um período de retrocesso em todos os sentidos nos espreita.

Mesmo se uma virada de Haddad na eleição de domingo ocorrer, a situação do país permanecerá dificílima.

Os espantalhos que foram construídos desde 2013 disseminaram o ódio e a falsa perseguição a um inimigo comum gerou a perigosa interrupção do debate público.

Desde o impeachment de 2016, que começou em 2014 com a não aceitação da derrota eleitoral por parte de Aécio Neves, que o tema "corrupção" domina o debate eleitoral.

Um tema tratado de maneira seletiva e direcionado a construir um "inimigo público".

E este ano isto chegou ao cúmulo de nem debate eleitoral existir.

Como o que existe é a política do "nós contra eles", só o que vale é o grito, a mentira, a manipulação, o xingamento e a desqualificação do outro.

"O PT é corrupto", "não se debate com ladrões", "discutir saúde, educação, emprego para quê? Temos que combater a corrupção e a ameaça comunista, da esquerda". Esse é o 'debate' do momento.

Perigoso.

Essa narrativa proposital, construída no subterrâneo das redes sociais, esconde a total falta de compromisso público com assuntos que realmente interessam ao futuro do país.

Como resolver a questão da economia? Do endividamento público? Do desenvolvimento? Da industrialização? Da educação? Da saúde? Da ciência e tecnologia? Da aposentadoria? Da geração de renda? Da inserção do Brasil no mundo?

Quais números devem ser debatidos com a opinião pública? Quais propostas devem ser conhecidas e firmadas publicamente?

Se nada disso acontece, o que de fato se está fazendo é assinar um cheque em branco para um governo.

Se o debate e os compromissos públicos são obstruídos, com o que de verdade se compromete o futuro governo? Quais são seus reais compromissos?

O Brasil está cindido, a justiça e a mídia estão em silêncio diante da ausência do debate público e das ameaças diárias contra a vida, a liberdade das pessoas e a própria democracia.

Pela primeira vez depois da ditadura, brasileiros foram ameaçados de "exílio ou cadeia" por seus posicionamentos políticos. O próprio STF foi ameaçado.

A Constituição de 1988 parece que já é apenas algo decorativo.

O povo e o futuro do Brasil estão hoje à deriva.

Blog O Calçadão


sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Em sessão especial, Cine-Clube Cauim exibe "Uma noite de 12 anos" ao MST

A fala do General nos remete aos dias atuais.
Fotos: Filipe Peres 


O Cine-formação, um projeto do Cine-clube Cauim, apresentou, ontem, 18, uma sessão fechada do filme "Uma noite de 12 anos", aos integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

O debate de ideias é também a defesa da democracia


A recusa ao debate exclui o povo do acesso às informações e da verificação das propostas. 
Foto: Filipe Peres

Por Simone Magalhães

A corrida presidencial de 2018 já deixou a sua marca na história brasileira. Se nas eleições anteriores candidatos possuíam propostas, às vezes, similares, o que se verifica neste segundo turno são dois projetos de país radicalmente opostos apresentados à sociedade brasileira, representados pelas candidaturas de Fernando Haddad 13 e Jair Bolsonaro 17. 

Tempos




Diferentes formas de perceber o tempo:

1. o tempo glacial
que me passa e não percebo
formação rochosa em minha alma
lava enrijecida pelo tempo em meu corpo
minha morte.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Essa é a vida que queremos?

"Us and Them" descreve aspetos da luta de classes.
Fotos: Edgar Oliveira

Por Edgar Oliveira


Essa é a vida que realmente queremos?
Conhecendo Roger Waters, seu trabalho realizado no Pink Floyd, suas letras, sua história de vida, seu olhar clínico e seu posicionamento crítico e contundente sobre fenômenos de ordem político-sociais, seria fácil prever que o homem de 75 anos que perdeu o avô para a primeira guerra e o pai para a segunda não iria se abster. Esse respeitável senhor que há décadas divide conosco suas frustrações e traumas, causou muito incômodo às inabaláveis estruturas da elite paulistana.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

A Bela Adormecida


Mulheres durante ato contra Bolsonaro,
em Ribeirão Preto.
Foto: Filipe Peres

Por Taís Roxo

Sim, nós acordamos! A Mulher brasileira está na rua ocupando o seu lugar e exigindo o respeito aos direitos de igualdade mitigados há séculos de história. 

sábado, 29 de setembro de 2018

#elenão Ribeirão Preto se une ao Brasil e ao mundo!

Foto: Filipe Peres

Na manhã deste sábado, na Esplanada do Theatro Pedro II em Ribeirão Preto, cerca de 2000 pessoas se irmanaram com mais de 50 municípios de todo o Brasil e de capitais pelo mundo como Londres, Paris, Lisboa e outras no grito contra o discurso e as posturas do candidato da extrema-direita brasileira.


O ato foi organizado e convocado pelo conjunto de coletivos de mulheres que atuam em Ribeirão Preto.

Papo no Calçadão entrevista o Professor Sandrão

Candidato à Deputado Estadual, Professor Sandrão deu uma entrevista ao Blogue O Calçadão.

Músico, professor de história, ex-bancário, pedagogo, militante. São e foram várias as atividades de Sandro Cunha, o professor Sandrão, em 32 anos de luta. Hoje, candidato à deputado estadual, o psolista, e um dos maiores colaboradores do blogue "O Calçadão em relação à luta pela manutenção dos direitos dos servidores municipais, concedeu um entrevista em que expõe o seu plano de atuação, se eleito pela populaçao paulista.

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Manual de Sobrevivência Para o Século 21 é exibido no SESC e tem como estrela principal o Assentamento Mário Lago, do MST!

Após o filme, muitas foram as perguntas aos palestrantes.
Fotos: Filipe Peres

O SESC/Ribeirão Preto apresentou, ontem, quarta-feira, às 19h30, os episódios 4 e 7 do Manual de Sobrevivência Para o Século XXI, dirigido pelo cineasta João Gabriel Amorim e apresentado pelo ator Marcos Palmeira. Os episódios tiveram como temáticas "Economia Solidária e "Alimentos, a floresta comestível". Ambos girando em torno da produção agroflorestal do Assentamento Mário Lago, em Ribeirão Preto. 


sábado, 15 de setembro de 2018

A Constituição de 1988 é o instrumento de unidade democrática contra as bravatas autoritárias!

Constituição se faz com a soberania popular!
A Constituição de 1988 ainda é o nosso maior símbolo de democracia e o instrumento atual em torno do qual devem se unir todos os democratas desse país na luta contra o processo golpista que tenta rebaixar a política, a soberania do voto popular e flerta com a restituição de uma ditadura de cunho civil-militar no Brasil.

Nossa elite anti-nacional e anti-popular nunca engoliu a "Carta Cidadã", tanto pelo seu caráter democrático, ungida pela força da soberania popular, quanto pelo seu caráter de apontar para a  necessidade da construção de um Estado do Bem-Estar Social brasileiro.

A Constituição de 1988 garante todo um conjunto de direitos humanos: os de primeira geração, baseados no conceito liberdade, que garantem os direitos individuais integrantes do artigo 5o da Carta; os de segunda geração, baseados no conceito igualdade, como a existência dos direitos trabalhistas, do SUS, da Seguridade Social, da aposentadoria pública, da educação pública, do direito à moradia, do direito ao transporte entre outros; e os de terceira geração, baseados no conceito solidariedade, como a existência da política de proteção ambiental, o código de defesa do consumidor, os Estatutos do Idoso, da Igualdade Racial, da Criança e do Adolescente e os demais direitos ainda em luta para empoderar a mulher, os LGBT's e demais camadas sociais existentes.

Dessa forma, ao ser colocada em prática, nossa Carta Cidadã obriga a construção de um projeto nacional de desenvolvimento com inclusão social.

É por isso que todos os governos neoliberais ou comprometidos com os interesses do neoliberalismo, defendido pelos grandes grupos financeiros, de Collor, passando por FHC e agora com o governo de Temer, imposto por um golpe jurídico-parlamentar, sempre atentaram contra a Constituição de 1988, tentando remendá-la ao gosto dos interesses neoliberais.

Apesar dos erros, das insuficiências e das dificuldades, foram nos 12 anos dos governos do PT, de Lula e Dilma, que a Carta Cidadã e seus preceitos foram mais valorizados, regulamentados e colocados em prática. O desenvolvimento com inclusão social realizado entre 2003 e 2016 casou perfeitamente com os objetivos do poder constituinte de 1988.

Por isso o golpe de 2016. Por isso o avanço avassalador do governo golpista e de seus apoiadores, como a grande mídia, sobre os direitos contidos na Constituição após o golpe. Por isso que, agora, o  vice de Bolsonaro, defende uma constituição sem povo, feita por 'notáveis'.

Mourão apenas revela o desejo da elite brasileira, o de construir um país sem o povo, ou, no máximo, com o povo colocado de escanteio.

É preciso defender a Constituição de 1988 em todos os seus sentidos e é preciso forjar em torno dela a resistência democrática.


Blog O Calçadão

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

2014-2018: o golpe que matou o PSDB!

A trinca do golpe que destruiu o Brasil
Ilustração: Portal Vermelho
O PSDB pode sair das eleições de 2018 como o maior derrotado. Tudo culpa de seu apoio e patrocínio ao golpe de 2016.

Golpe que começou em 2014, como bem disse essa semana o Senador tucano Tasso Jereissati, quando liderado por Aécio Neves o PSDB não aceitou o resultado das urnas e iniciou um processo de sabotagem contra o segundo governo Dilma.

terça-feira, 11 de setembro de 2018

MST denuncia Prefeito de Valinhos por grave violação aos direitos humanos



Acampamento Mariele Vive, em Valinhos/SP
Foto: Filipe Peres


Desde 14 de abril deste ano, o município de Valinhos tem a oportunidade de conviver com a comunidade do Acampamento Marielle Vive!, que luta por Reforma Agrária nas terras da Fazenda Eldorado Empreendimentos Imobiliários Ltda, por moradia, trabalho e direito à alimentação saudável. Desde o início do acampamento, temos recebido a solidariedade de inúmeras pessoas da cidade, que apoiam nossa luta e entendem a necessidade do cumprimento da função social da terra, previsto na Constituição Federal brasileira.
Mas ao que parece, Orestes Previtale (PSB), prefeito de Valinhos, não entende nada de legislação e muito menos de direitos sociais, tratando as famílias sem terra com intolerância, preconceito e discriminação.

Willian Miranda Cabeçoni é preso político




NOTA DO MST SOBRE PRISÃO POLÍTICA DE MILITANTE NA REGIÃO DE IARAS/SP

Hoje (11) o trabalhador rural assentado, militante do MST, Willian Miranda Cabeçoni, foi preso por volta das 6h na região de Iaras, estado de São Paulo.

Lula/Haddad vs Bolsonaro: uma ideia contra uma mentalidade!

Uma ideia vs uma mentalidade
Apesar de as mais recentes pesquisas mostrarem Ciro Gomes em um segundo lugar, fazendo muitos começarem a apostar em um voto útil no pedetista para derrotar Bolsonaro, começa hoje, terça (11/09/2018), a caminhada para o verdadeiro embate do segundo turno.

O embate será entre Fernando Haddad (representando a voz de Lula) contra Jair Bolsonaro.

Será um embate muito peculiar.

domingo, 9 de setembro de 2018

O neoliberalismo não é moderno e nem eficiente. O neoliberalismo é desemprego e pobreza!

Para Dória, Macri é "absolutamente inspirador"
A gestão de Maurício Macri na Argentina tem sido desastrosa e o país voltou a conviver com a crise, o desemprego, a recessão, o aumento da pobreza, a desindustrialização e o conflito social. Como solução "moderna e eficiente", nas palavras de João Dória, Maurício Macri fez o que todo governante neoliberal faz quando afunda o seu país (e eles sempre afundam): recorreu ao FMI.

O resultado disso todos nós brasileiros que vivemos os anos FHC sabemos: mais crise, mais desemprego e mais cortes sociais.

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Acampamento Izael Fagundes volta a ocupar a fazenda Lageado em Itaporanga, São Paulo


Foto: MST

Por MST

Os primeiros raios de sol desta sexta-feira de feriado (7) revelaram uma nova ocupação na lazenda Lageado, em Itaporanga (SP). Essa é a quinta vez que o MST entra na área de cerca de 400 hectares, localizada na região sudoeste paulista.

MST ocupa fazenda improdutiva no município de Gália - SP


Foto: MST

Por MST

Na manhã desta sexta-feira (07), cerca de 150 famílias sem terra ocuparam a Fazenda Rio Vermelho, no munícipio de Gália –SP. Possuindo aproximadamente 500 alqueires, a maior parte da Fazenda encontra-se em abandono há muito tempo, tendo suas estruturas já deterioradas pela falta de uso.

Acampamento Elizabeth Teixeira ocupa mais uma gleba do Horto Tatu*


Foto: MST

Por MST

Há 11 anos as 108 famílias do Acampamento Elizabeth Teixeira, do MST, lutam para a realização da reforma agrária no Horto Tatu, município de Limeira/SP.

2014 e 2018: o Brasil em parafuso e o oportunismo eleitoral nas comoções!

Ao invés do recolhimento e do cuidado com o pai,
a tentativa de faturar uns votos
Ilustração Brasil 247
A coincidência é assustadora!

Em 2014, a tragédia da morte do candidato Eduardo Campos, mais ou menos na mesma altura da atual campanha eleitoral, causou comoção e, ao mesmo tempo, espanto em relação ao comportamento de Marina Silva tanto diante do caixão do morto quanto pelo desprendimento e entusiasmo com que deixou a vice e assumiu a vaga de candidata.

domingo, 2 de setembro de 2018

O blog O Calçadão te mostra como e porque não votar em quem é da "Turma do Temer"!

Se está com Temer,
não vote!
A eleição de 2018 será diferente das outras e muito importante.

Para começar, o líder disparado nas pesquisas, Lula, sofre um violento processo de perseguição contra sua candidatura, valendo, para isso, uma condenação sem provas, uma prisão inconstitucional e uma brutal e desumana decisão de impedir que a sua voz e a sua imagem sejam mostradas ao povo.

Tudo isso para tentar facilitar a permanência no poder daqueles que chamaremos aqui de "campo golpista" ou de "Turma do Temer".

sábado, 1 de setembro de 2018

Eleição Sem Lula é Golpe!!


Marcha Lula Livre.
Foto: Filipe Peres 
Nota do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST manifesta seu repúdio contra mais uma ação política do Poder Judiciário, que desrespeita e viola a Constituição Brasileira. 

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Comunidade do jardim Aeroporto vai ao Conselho de Moradia

"Que se interrompa a reintegração de posse da área e se encontre uma solução pacífica e socialmente justa."


Por: Jorge Roque
A luta pela moradia tem sido um exemplo da dignidade do nosso povo diante as condições mais adversas.
Acompanho há muitos anos os atos de resistência dessa luta, como as justas ocupações de locais abandonados e as duras batalhas para a regularização, o que sempre exige grande capacidade de organização dos moradores ameaçados. O poder público nas mãos das elites e da direita não costuma mostrar sensibilidade alguma, enviando soldados e cassetetes ao invés de soluções.
Em Ribeirão Preto essa dramática situação infelizmente se repete. Ontem mesmo, dia 28 de agosto, participei da reunião do Conselho Municipal de Moradia Popular de Ribeirão Preto, que foi pautada pela urgência da situação da comunidade Nazaré Paulista, localizada na região do aeroporto. 

A convite do conselheiro Paulo Honório, comecei a acompanhar de perto esse processo. Ao lado dos líderes comunitários da Nazaré Paulista, fizemos visitas na comunidade e na defensoria. Trata-se de um caso de reintegração de posse em área do Jardim Jóquei Clube, entre as ruas João Pessoa, Recife, Americana e Avenida Thomaz Alberto Whately.

Impedir essa reintegração de posse é fundamental para proteger o direito à moradia das centenas de famílias que habitam aquela área que deve ser regularizada. Isso evitaria um problema talvez sem precedentes para o Município de Ribeirão Preto, dado o número de pessoas sem moradia que tal reintegração de posse causaria. Aonde elas vão morar se forem expulsas de suas casas atuais? A maioria corre o risco de acabar na rua.
Diante a ameaça de semelhante tragédia, mais de 100 participantes de várias comunidades estiveram ontem presentes na aludia reunião do Conselho de Moradia, que aprovou a instalação de uma comissão para analisar o processo e os encaminhados para aquela região. O objetivo imediato é municiar os poderes executivo e judiciário com pareceres técnicos, além pressionar com mobilizações e debates democráticos para que seja atingida a melhor resolução do conflito.
O conselho acolheu também um oficio elaborado pelo Núcleo de Assessoria Jurídica da USP NAJURP, que irá oficiar a prefeitura Municipal de Ribeirão Preto sobre esta decisão a fim de que sejam tomam as medidas processuais cabíveis. Lutaremos juntos com os moradores da comunidade Nazaré Paulista até que se interrompa a reintegração de posse da área e se encontre uma solução pacífica e socialmente justa.
A moradia é um direito básico para uma vida digna, e é um violento absurdo ver uma multidão de trabalhadores, trabalhadoras, crianças e idosos em risco de não ter onde morar por efeito da especulação imobiliária improdutiva de uma minoria de poderosos.

Texto: Jorge Roque Sociólogo, Advogado e candidato a deputado federal por Ribeirão Preto

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Papo no Calçadão entrevistou o candidato à dep. estadual pelo PSOL, João Zafalão


O candidato João Zafalão (PSOL) falou sobre educação no estado ao Blogue.
Fotos: Alessandro Vergani


Professor de História da rede pública estadual faz 22 anos no distrito de São Miguel Paulista, região leste da capital São Paulo, dirigente sindical licenciado da APEOESP, o candidato à deputado estadual (efetivado na plenária de 28/07 pelo partido), João Zafalão (PSOL/SP) concedeu entrevista ao Blogue O Calçadão. Nesta entrevista, o professor falou de sua principal plataforma de atuação, a educação e afirmou o seu combate por uma escola pública de qualidade.

domingo, 26 de agosto de 2018

15 anos do Assentamento Mário Lago: reforma agrária, alimentos sem veneno, preservação ambiental

Mário Lago, a joia de Ribeirão Preto:
alimentos sem veneno, inclusão social,
preservação ambiental

Neste sábado, 25/08/2018, ocorreu a comemoração dos 15 anos de existência do Assentamento Mário Lago, do MST, na antiga Fazenda da Barra em Ribeirão Preto.

Centenas de amigos, amigas, lideranças comunitárias, lideranças políticas, artistas estiveram presentes levando o apoio e o abraço aos companheiros do MST de Ribeirão Preto.

Encerramento da Greve de Fome


Foto: MST



Da Página do MST

Com certeza de dever cumprido, ativistas encerram greve de fome

Depois de 26 dias de ato, grevistas conclamam povo a seguir mobilizado, construindo a resistência democrática a partir das ruas

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

Papo no Calçadão entrevistou o candidato à Presidência da República Guilherme Boulos!

Guilherme Boulos em entrevista
ao historiador Milton Carneiro 
Em sua passagem por Ribeirão Preto, o candidato à Presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos, concedeu uma entrevista exclusiva ao Blogue O Calçadão, conduzida e pautada pelo historiador Milton Carneiro.

Diferentemente das entrevistas que têm concedido em programas como Roda Viva, sem deixar de lado as pautas principais de seu programa de governo, o líder do MTST abordou temas regionais, pertinentes à população de Ribeirão Preto e região.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

22


Coluna Prestes em marcha à Brasília
Foto: FilipePeres 

A meus camaradas do Ateliê 22


Sob este sol quente
que não deixa que me vá
nem em tarde silenciosa
nem em disputa ruidosa
penso no golpe. O golpe
não veio como um furacão
mas pelo litoral
por nossas divisas
- de dentro também -

domingo, 19 de agosto de 2018

Moradores de rua denunciam violência da Prefeitura na praça Schmidt em Ribeirão Preto!

Café da Manhã sob os olhos da Guarda
Fotos, vídeo Filipe Peres

Desde de a última quarta-feira, 15/08/2018, a Prefeitura de Ribeirão Preto, em uma ação envolvendo a Secretaria de Assistência Social e a Guarda Civil, tem retirado os moradores de rua que viviam na praça Francisco Schmidt no centro de Ribeirão Preto, ao lado da UBDS central.

No centro da praça encontra-se uma van da Guarda Municipal, com 6 ou 7 guardas, colocada ali, segundo depoimentos, para evitar que os moradores voltem a ocupar a praça.

Indo ao local na manhã deste sábado, 18/082018, o blog constatou a presença de cerca de 30 moradores de rua alojados na calçada da rua Luiz da Cunha e também na praça da UBDS ao lado, onde se encontra a Maria Fumaça.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

27 milhões: com Temer e PSDB desemprego volta a ser o flagelo do trabalhador!

O mesmo projeto

O golpe de 2016 colocou Temer no poder em aliança com o centrão fisiológico e, principalmente, com o PSDB. Foi o retorno do PSDB ao poder, sem o voto, depois de quatro derrotas consecutivas nas urnas.

A volta do PSDB ao poder trouxe de volta a sua principal marca histórica: o desemprego!

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Uma saída para o Brasil, por João Pedro Stédile


Coluna Prestes marcha à Brasília.
Fotos: Filipe Peres


O blogue O Calçadão reproduz artigo escrito por João Pedro Stédile, e publicado na Folha de São Paulo, no dia 10 de agosto, sobre a importância da Marcha Nacional Lula Livre e da greve de fome em curso por integrantes do MST; em qual contexto estas ações ocorrem.

João Pedro Stedile 

O Brasil vive grave crise econômica, política, social e ambiental. Muitos fatores contribuíram para sua eclosão, principalmente a subordinação da nossa economia ao capital financeiro e internacional, que extorque toda a sociedade.

domingo, 12 de agosto de 2018

Coluna Prestes marcha pelo segundo dia pela libertação de Lula!

Coluna marchou 11 km
Fotos: Filipe Peres 

No segundo dia de marcha, a Coluna Prestes marchou 11 km. Durante o trajeto, os militantes do MST ouviram no carro de som mensagens de apoio e reconhecimento à luta que está sendo travada. Entre estas, destacou -se a fala se Ana Prestes, neta de Luís Carlos Prestes.

Equipe técnica, ligada ao Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, está desenvolvendo estudo para a elaboração de políticas públicas que atendam as mulheres em Ribeirão Preto.

Equipe técnica está realizando estudo profundo e técnico para propor Políticas Públicas paras as Mulheres, em Ribeirão Preto. Fotos: Sil...