domingo, 22 de janeiro de 2017

90 anos sem Lênin: "aprender, aprender sempre!"

Vladmir Ilyich Ulyanov, Lênin, foi o maior personagem do século 20.

Um revolucionário, teórico marxista e chefe de Estado.

Sua vida foi uma epopeia.


Sua maior riqueza foi sua companheira, Nadezda Krupskaja.

Ao mesmo tempo em que forjou seu caráter revolucionário, desde que o irmão foi morto pelo regime czaqrista, em 1887, Lênin também moldou seu caráter intelectual, tornando-se o maior teórico marxista pós Marx e Engels.

Sua obra, seminal e atual, foi escrita no mesmo período em que ele liderava os passos da revolução, entre a insurreição popular de 1905 e a queda do regime em 1917.

Sua história de vida merece ser sempre revisitada, assim como a sua obra literária.

Lênin percorre desde a construção da organização do movimento revolucionário, passa pela constituição de um partido da classe operária e chega aos pilares da condução do Estado operário e bolchevique.

Liderou e conduziu a revolução em seu período mais crítico e sangrento, da saída da Rússia da Primeira Guerra à resistência do período contra-revolucionário de guerra civil (1918-1921).

Lênin deu o tom do movimento de esquerda em nível mundial.

Sua morte precoce, aos 55 anos, em 21 de janeiro de 1924 deixou para sempre a pergunta: e se Lênin tivesse vivido mais dez anos? Parte dessa resposta pode ser dada pela descrição do próprio Lênin sobre o que ele pensava de Stálin e do futuro da União Soviética.

Lênin desapareceu há 90 anos, mas a presença de seu pensamento se mantém.

Ideias são mais letais que armas...

Blog O Calçadão


Nenhum comentário:

Postar um comentário