quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

A PEC da Morte é o pai de família matando o filho de fome para pagar o cartão de crédito!

A mídia, que armou e sustenta o golpe hora em marcha no Brasil, adora manipular a informação e a verdade para enganar os incautos.

Para tentar justificar a PEC do Teto de Gastos, legitimamente chamada de PEC da Morte, a mídia adora usar a parábola do pai de família.


Segundo a parábola "uma família não pode gastar mais do que ganha", logo, é preciso resolver a questão das dívidas para equilibrar a vida. Assim também deve funcionar o Estado, segundo essa lógica midiática.

Beleza.

Mas acontece que a PEC da Morte age pela lógica invertida à da família endividada.

Vejamos:

O que faz uma família endividada, naquela situação em que começou pagando o valor mínimo do cartão de crédito mas que agora nem isso está adiantando?

Suponha uma família cuja renda é de 3 mil reais mas os gastos com dívidas já superam 2 mil reais. O que faz essa família?

99 entre 100 famílias param de pagar as dívidas para preservar o básico: educação, saúde e alimentação dos membros da família, não é?

Assim, o pai de família se torna inadimplente, o nome vai para o SPC, mas a família, as pessoas, permanece sobrevivendo.

Como o 'mercado' necessita do consumidor, o pai de família sabe que, mais hora menos hora, será chamado a renegociar a dívida em condições adequadas e limpar seu nome. Daí para frente, a família vai procurar não mais se enrolar nos juros do cartão de crédito, por exemplo, buscando um equilíbrio financeiro.

Essa é a lógica da parábola.

Mas a PEC da Morte inverte a lógica.

Ela impõe cortes nas despesas básicas, como saúde e educação, para garantir o pagamento das dívidas e dos juros das dívidas. Ou seja, num país do tamanho do Brasil, o desgoverno Temer/PSDB, a mando do 'mercado', mata seus filho de fome e doentes para bancar o cartão de crédito.

Essa imposição do capitalismo financeiro, que encontra apoio em forças políticas entreguistas, tem levado à destruição economias na Europa, África, Ásia e América. A desigualdade e a concentração de renda aumentam brutalmente (1% mais rico com mais dinheiro que os restantes 99%) junto com a pobreza.

Portanto, é preciso gritar "mentira!" quando a mídia divulgar que a PEC é importante porque o governo fará a 'lição de casa', cortando gastos.

Não há corte de gastos e a 'lição de casa' é ditada pelo 'mercado'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário