domingo, 25 de dezembro de 2016

Blog O Calçadão: um Natal que recobre as forças para as lutas decisivas de 2017!

Que rufem os tambores de 2017!


Os últimos dois anos foram de lutas de resistência e de retrocesso por parte das forças populares no Brasil.

Dilma reeleita com 54 milhões de votos inicia seu segundo mandato com Joaquim Levi comandando uma agenda de 'ajuste fiscal' que faz a Presidente perder rapidamente seu apoio popular.

A rejeição de Dilma turbina o movimento golpista e grupos financiados levam centenas de milhares às ruas pedindo o impeachment da Presidente.

A mídia se soma aos dissidentes da PF, MP e Justiça e o movimento 'anti-corrupção' que, na prática, é um movimento anti-petista, cresce e dá força a um golpe arquitetado dentro do Congresso Nacional, com o apoio do empresariado paulista e de um vice decorativo, para derrubar Dilma e restabelecer a agenda neoliberal sem a necessidade de passar pelo voto popular.

A aliança PMDB/PSDB (com amplo apoio da mídia e da República de Curitiba) se soma aos interesses do chamado 'Centrão' (penduricalhos menores e fisiológicos do Congresso) e o golpe do impeachment sem provas sangra a democracia e suprime o mandato legítimo da Presidente Dilma.

A omissão/conivência do STF dá o tom de 'legitimidade' ao golpe.

Desde as pautas bombas de Eduardo Cunha em 2014/2015 até o imobilismo do segundo governo Dilma jogam o país em uma recessão profunda. Usando do argumento de 'colocar a casa em ordem' e se aproveitando do sentimento de confusão e impotência da população, as forças golpistas comandadas pelo PMDB/PSDB avançam sobre os direitos do povo brasileiro e rasgam a constituição de 1988.

Uma brutal agenda neoliberal é imposta ao Brasil ameaçando a aposentadoria, os direitos trabalhistas e as reservas de petróleo. O desemprego atinge milhões de pessoas, 27% da juventude. Os instrumentos públicos de fomento e investimento, como o BNDES, são amordaçados.

O país que em 2009 olhava para um futuro de desenvolvimento com inclusão social e se colocava de maneira autônoma no cenário mundial é novamente reconduzido à insignificância de um país paralisado e com uma enorme desigualdade social.

Enquanto os mais ricos sonegam cerca de 500 bilhões anuais dos cofres públicos e encontram formas de não pagar impostos, como a isenção de Imposto de Renda de lucros e dividendos empresariais existente desde 1995, uma PEC impõe um congelamento de 20 anos em saúde e educação, inviabilizando o SUS como um sistema universal de atendimento público.

As forças populares progressistas e de esquerda viram o avanço neoliberal e conservador a partir de uma posição defensiva, sem condições de disputar a narrativa com os golpistas e sem condições de dialogar com as amplas massas.

Todo arcabouço de proteção social contido na Carta de 1988 está sendo desfeito diante do desarranjo da unidade das forças populares.

O PT encontra-se combalido e em profundo debate interno e sua maior liderança, que é também a maior liderança popular do Brasil, Lula, encontra-se em guerra contra os desmandos da Lava Jato, um braço do golpismo.

A força e a virulência dos ataques contra Lula surpreendem tanto quanto sua capacidade de resistência e de presença de sua imagem no imaginário popular, a ponto de 43% dos brasileiros o considerarem o maior Presidente da história e de 31% estarem propensos a votarem nele em 2018.

A liderança de Lula e sua luta contra os desmandos da Lava Jato têm sido um ponto em torno do qual se busca reconstruir uma força de unidade de esquerda e progressista anti-neoliberal e pró a um projeto popular de desenvolvimento e inclusão social que pode fazer frente ao projeto neoliberal dos golpistas.

Assim se inicia 2017.

As denúncias de corrupção podem derrubar Temer e inviabilizar algum candidato tucano. Assim, as forças do golpismo deverão buscar uma saída, como disse a Presidente Dilma "um golpe dentro do golpe".

A melhor alternativa hoje é a eleição indireta de um nome fora da disputa partidária, como Nelson Jobim, ex-Ministro do STF e de FHC, Lula e Dilma.

Jobim seria o sustentáculo do esquema golpista que busca consolidar as reformas neoliberais e aponta para um governo com ainda mais força para operar a repressão contra os movimentos populares, caminhando para um regime de força sustentado na mídia e no apoio do sistema rentista.

Contra isso há a campanha por Diretas, já! Lula e as forças progressistas, principalmente em torno da Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo, já aderiram à essa campanha. PT e Lula já estudam lançar a candidatura do ex-Presidente logo no início do ano. E Ciro Gomes busca se viabilizar como candidato já há algum tempo.

Os retrocessos da recessão econômica, do desemprego e de uma reforma da Previdência totalmente inconcebível podem dar força ao movimento popular de resistência e pode vir um período de avanço das forças democráticas, saindo do imobilismo.

Para isso contribuirão e muito todo o conjunto de sites e blogs de esquerda espalhados pelo país, dos grandes aos pequenos. A chamada 'blogsfera' será mais uma vez fundamental.

Que este Natal seja de retomada de fôlego porque 2017 será um ano de lutas decisivas para o futuro do Brasil.

Feliz Natal!

Blog O Calçadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário