sexta-feira, 23 de março de 2018

O MBL, as fake news e os desinformados que odeiam!

Cunha e Kim
unidos no golpe!

Em um país onde a mídia é empresarial, monopolista e atua como um partido político e onde a mídia alternativa progressista ainda engatinha, a desinformação do povo impera e golpes na democracia sempre estão na espreita.

Nesse contexto, um grupo muito bem financiado e treinado em mídia digital se torna um perigoso instrumento na propagação do ódio e do discurso seletivo e proto-fascista.

Assim é o MBL (Movimento Brasil Livre).


Atuaram em parceria com Eduardo Cunha, Aécio e Temer no processo de desestabilização do governo Dilma, o que resultou no golpe parlamentar de 2016 e no desgoverno Temer, que destrói a economia, a soberania e os direitos do povo.

Atuaram junto a outros veículos de desinformação na perseguição a Lula e sua família, produzindo fake news que ajudavam a alimentar o ódio desinformado dos incautos.

Atuaram junto com Dória no processo de enganação do povo de São Paulo, que agora é abandonado pelo prefake pouco mais de um ano da posse.

Investigações apontam para o MBL as fake news que tentaram destruir a reputação e a memória de Marielle Franco, vereadora carioca covardemente assassinada e cuja morte causou comoção e unidade do campo progressista.

O MBL é um grupo perigoso, como muito bem denunciou a filósofa Márcia Tiburi ao se deparar com a presença de Kim Kataguiri em um estúdio de rádio.

Quem de fato financia o MBL?

O MBL se alimenta do ódio desinformado. Sem o ódio, o MBL não é nada.

Ei, você. Você mesmo que entrou na universidade, que adquiriu casa própria, que tem filhos nas escolas federais, que melhorou de vida ou que passou num dos milhares de concursos públicos com excelente salário criados por Lula e Dilma, pare de odiar, tome tenência e deixe de ser fantoche do MBL, já!

O Calçadão


Nenhum comentário:

Postar um comentário