quarta-feira, 14 de março de 2018

Vereadora Marielle Franco (PSOL) é assassinada no Rio de Janeiro

Vereadora assassinada integrava a Comissão da Verdade da Intervenção Militar no Rio.

A vereadora do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Marielle Franco, acaba de ser assassinada dentro do carro em que estava, no bairro Estácio, na região central do Rio.



O crime ocorreu na Rua João Paulo, na altura da Rua Joaquim Palhares. O motorista da vereadora também foi morto.

Policiais do 4°BPM já estão no local aguardando a chegada de equipes de Divisão de Homicídios (DH).
 No domingo, Marielle denunciou uma ação de PMs do 41º BPM (Irajá) na Favela de Acari. Segundo ela, moradores reclamaram da truculência dos policiais durante a abordagem a moradores. Ela compartilhou uma publicação em que comenta que os rapazes foram jogados em um valão. De acordo com moradores, no último sábado, os PMs invadiram casas, fotografaram suas identidades e aterrorizaram populares no entorno.

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra solta nota

Marielle em aula inaugural do curso de Pré-vestibular da Favela.do Cerro Corá
Nota Pública do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vem a público, nesse momento de dor, manifestar profundo pesar diante do assassinato de nossa companheira e  vereadora do PSOL Marielle Franco, e do companheiro que a acompanhava.

Marielle uma amiga do MST e militante destacada na defesa dos direitos humanos e da igualdade social, deixa um legado de lutas em favor da classe trabalhadora.

Exigimos a rápida apuração desse crime e nos somaremos às mobilizações para que a luta de Marielle não fique impune.

Aos companheiros e companheiras do PSOL e à família, nosso pêsame e nossa mais irrestrita solidariedade.

Rio de Janeiro, 14 de Março de 2018

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

Nota do PSOL

Charge: Latuff

O Partido Socialismo e Liberdade vem a público manifestar seu pesar diante do assassinato da vereadora Marielle Franco. Estamos ao lado dos familiares, amigos, assessores e dirigentes partidários do PSOL/RJ nesse momento de dor e indignação. A atuação de Marielle como vereadora e ativista dos direitos humanos orgulha toda a militância do PSOL e será honrada na continuidade de sua luta. Exigimos apuração imediata e rigorosa desse crime hediondo. Não nos calaremos!
Marielle, presente!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário