domingo, 8 de abril de 2018

A Globo, incomodada com o discurso de Lula, investe em uma narrativa dos tempos da ditadura!


Um dos fatos positivos de todo esse processo de golpe e luta contra o golpe foi ter caracterizado a Globo como o símbolo do golpe.

Hoje, qualquer democrata, qualquer cidadão minimamente informado, e são, certamente dezenas de milhões no Brasil, sabem que a Globo não convive com a democracia e é um instrumento político em defesa dos poderosos e contra projetos populares de desenvolvimento com inclusão social.

A Globo esteve na liderança do processo de desestabilização do governo Dilma, em parceria com os grupelhos fascistas como o MBL. A Globo esteve por trás do processo de golpe parlamentar que derrubou sem provas uma Presidente eleita e honesta, pressionando deputados e senadores. E a Globo liderou o processo de condenação sem provas e de encarceramento autoritário de Lula, agindo em parceria umbilical com a lava jato e com setores da justiça e ministério público.

O discurso de Lula, histórico, transmitido na própria Globo através do sinal emprestado da TVT, deu o tom: a inimiga é a Globo.

Dá para imaginar o quanto a poderosa emissora tenha se incomodado com isso.

A reação foi imediata. Seus funcionários passaram a exigir, ao vivo, que as forças policiais arrancassem Lula do sindicato e o levassem sob vara até Curitiba. Alguns até estranharam que a condução de Lula tenha sido feita com relativo respeito e dignidade.

No mesmo momento, no interminável JN à espera de transmitir a imagem de Lula em Curitiba, a Globo mostrou que irá adotar a narrativa da ditadura, aquela que busca criminalizar a luta social para justificar a repressão e esconder seu verdadeiro papel de golpista.

Em parceria com membros do MP e da Associação de juízes, a Globo subiu o tom contra as manifestações que, dentre outras coisas, picharam a fachada de um prédio em Minas onde Carmem Lúcia tem um apartamento.

O close na inscrição Lula Livre mostrou que a Globo sentiu a pancada do discurso do Presidente e reagiu.

Mas, na mesma noite, a Globo se calou sobre a violência gratuita da PM do Paraná contra manifestantes pacíficos que cantavam em Curitiba próximo ao prédio da PF.

Na luta de resistência democrática, a denúncia do papel da mídia hegemônica, principalmente da Globo, no golpe contra a democracia e dos direitos do povo, deve ser intensificada.

Blog O Calçadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário