sábado, 5 de agosto de 2017

Sem candidato viável e com crescimento de Lula, golpismo se move para melar 2018!


E somente o povo poderá ser o ponto decisivo em favor da democracia...

O bando de corruptos que articulou, lastreados em 15 bilhões de reais de dinheiro público, a votação que salvou Temer da investigação e do afastamento temporário da Presidência esta semana, trama um novo golpe contra a democracia: a não realização das eleições de 2018!


Seja através do golpe do parlamentarismo, que seria aprovado por este mesmo Congresso convencível por 15 bilhões, seja através da pura e simples suspensão total das garantias constitucionais vigentes.

Parte do tucanato, José Serra à frente, já articula o parlamentarismo. E Temer já repercutiu a 'ideia' nessa semana em entrevista na mídia.

Apesar da disputa momentânea entre partes do golpismo, principalmente entre o grupo de Temer/Aécio e a Globo, todos eles têm um medo comum: Lula!

O principal parceiro da Globo, lá de Curitiba, trabalha diuturnamente para detonar a figura e a história do ex-Presidente. Sempre aguardando o momento político certo para soltar mais uma 'bomba' contra Lula, quase sempre junto de uma 'bomba' contra Temer (mas deve ser coincidência...).

O caso é que não está adiantando, pois pesquisa após pesquisa mostra Lula em crescimento e as condenações sem provas surgem como perseguição contra o melhor Presidente da história aos olhos do povo.

Lula vem aí (ou ele ou quem ele apoiar...) e pará-lo é um dos objetivos do golpismo unido.

Sem candidato capaz de concorrer com Lula (Dória é um blefe já reconhecido dentro do próprio PSDB e os neurônios de Bolsonaro não seguram a peteca de uma campanha),o golpismo se mexe para melar 2018.

A maioria dos deputados que votaram com Temer nesta semana, principalmente a bancada BBB (Boi, bíblia e bala), justificaram seus votos assim: 'afastar Temer agora é colocar o PT de volta'. 

Isso mostra qual será o discurso da turma do Temer não só para tentar o diálogo com parte da classe média reacionária que saiu às ruas recentemente, explorando o anti-petismo, mas também para tentar retomar a aliança com a Globo em torno de um objetivo comum: parar Lula.

Ainda estamos no olho do furacão do golpe!

Nesse momento, é preciso dar todo o apoio a Lula e a seu objetivo de percorrer o país em diálogo com a população. É preciso construir uma ampla unidade em torno de Lula para defender a democracia, os direitos e a possibilidade de eleições em 2018.

E mais, construir em torno de Lula uma frente nacional que proponha um projeto de país desenvolvimentista e inclusivo, anti-neoliberal e diversificado, que toque o coração do povo e que aponte caminhos para virar esse jogo.

À luta!

Ricardo Jimenez

Nenhum comentário:

Postar um comentário