sábado, 10 de junho de 2017

Precisamos (re)pensar tudo! Por Cassiano Figueiredo



Está circulando um vídeo de um tatuador fazendo uma tatuagem na testa de um homem que tentou assaltar sua casa, ou estúdio. 

Isso é terrível!


Primeiro porque hoje, com certeza, centenas de casas e pessoas serão assaltadas. Nós temos um modelo de segurança pública ineficiente, que ataca os sintomas, mas não conhece sequer a doença. Não propõe uma "cura".

Por isso temos números tão altos no que se refere à violência, policiais mal remunerados e sem apoio do governo e, principalmente, muitas mortes.

Segundo porque se o assaltante cometeu um crime, de forma tentada, contra o patrimônio, o tatuador cometeu um crime contra pessoa. Lesão corporal grave, com previsão de pena pois gerou uma deformidade permanente no assaltante. Também o crime de cárcere privado e também exercício arbitrário das próprias razões.

Não quero, com esse texto, fazer uma defesa "caricata" dos Direitos Humanos. Ao contrário. Quero apenas expressar o quão confuso é o momento que passamos.

As pessoas não confiam nem nas forças de segurança e menos ainda no Judiciário pra resolver seus problemas, especialmente em um dia como hoje, em que utilizam um argumento técnico pra tapar os olhos diante da lama que tomou o governo, como está acontecendo agora no Plenário do TSE.

Não tem receita fácil, mas com certeza não vai ser com "soluções" como essa que vamos resolver o problema. Precisamos (re)pensar tudo.

Cassiano Figueiredo é bacharelando em Direito e militante social em Ribeirão Preto

Nenhum comentário:

Postar um comentário