sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Só eleições gerais, sem grana empresarial, colocará ordem na bagunça promovida pelo golpe!

O país está uma bagunça!

Após o golpe do impeachment sem provas contra uma Presidente honesta, a democracia brasileira foi trocada pelo caos.

As facetas do golpismo se engalfinham e afundam o país.


A banda podre da política confiou que com Temer no poder poderia escapar de pagar por suas falcatruas. Jucá prometia "estancar a 'porra' da Lava Jato".

A banda do rentismo (cujo PSDB de FHC, Serra, Aécio e Alckmin é o maior representante) confiava que com Temer no poder poderia vender o Brasil impunemente, entregar o pré sal, destruir os bancos públicos (BNDES, Caixa e BB), acabar com os investimentos sociais e com os direitos de aposentadoria e trabalhistas.

A mídia confiava que com Temer voltaria a dar as cartas em Brasília e se fartar de verbas públicas.

Nada feito.

O ex-vice decorativo e atual Presidente decorativo e sua turma fizeram um desgoverno e mostraram bem rápido que entendem mesmo é do submundo das negociatas.

75 mil desempregados por mês e contando...

Na outra ponta do golpe, o juiz Moro e sua 'república curitibana' buscam não sair de cena.

Co-responsáveis pelo caos econômico, ao quebrarem as empreiteiras e detonarem a infraestrutura, os 'heróis de Curitiba' tentam impor suas 10 medidas contra a corrupção.

10 medidas contra o Estado democrático de direito e contra o direito sagrado de presunção de inocência, que acabará atingindo em cheio as camadas mais pobres do povo.

Moro e sua turma apostam na criminalização da política como forma de se fortalecerem como força acima da democracia e da Constituição.

A ação seletiva da Lava Jato contra Lula mostra o perigo desse cenário.

O atual Congresso, eleito no padrão Eduardo Cunha de financiamento de campanhas, não tem condições de ajudar na superação da crise.

Somente novas eleições, gerais, sem grana empresarial, pode recolocar o Brasil nos trilhos. E o Congresso eleito deve ter condições de realizar uma mini-Constituinte da reforma política.

Como disse a Presidente Dilma, sabiamente: "Temer é menor que o Brasil".

Os golpistas todos o são, Presidenta!

Blog O Calçadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário