sábado, 22 de outubro de 2016

Por que a esquerda vota nulo em Ribeirão? Por Sandro Cunha


A pergunta tem uma resposta simples e direta: os dois candidatos representam a direita conservadora e retrógrada desse país e suas propostas não contemplam as necessidades dos trabalhadores e dos debaixo.


Nogueira é um candidato representante do tucanato privatista e entreguista, que votou a favor da PEC 241 e do golpe contra Dilma. Seu partido, o PSDB, governa o Estado de São Paulo há 21 anos e conseguiu acabar com a saúde e a educação no nosso Estado.

O fato de Nogueira não ter assinado o compromisso com o PME e não ter aceito os pontos definidos pelos professores, através da Aproferp, significa que ele é retrógrado e vai manter os cargos de gestão, através de indicação politica.

Quanto à sua proximidade com Cícero, o outro candidato também tem. O PMDB de Cicero não apóia Nogueira, está apoiando Ricardo, e sabemos muito bem que o coronel tem livre trânsito entre os dois candidatos e continuará sendo eminência parda e secretário oculto em qualquer um dos governos, como foi até no governo petista de Palocci.

Ricardo Silva é o candidato golpista, que apoiou o golpe contra a Dilma, apesar da orientação do PDT de votar contra a cassação de Dilma. O Pato Golpista Paulo Skaf, líder da FIESP, uma das instituições mais conservadoras, elitistas e retrógradas desse país, é seu principal garoto propaganda.

A coligação que o apóia é formada por PRB de Crivella e Russomano, PSC de Bolsonaro e Feliciano, PMDB de Temer, Baleia, Paulo Saquy e Cícero, dentre outros. Ele conseguiu reunir em.uma coligação tudo de mais inescrupuloso e nojento que nós temos na política brasileira, a bancada da Bíblia e da bala.

Diante de tudo que foi exposto, posso dizer que o único compromisso que tenho é com a minha consciência, e ela me diz que o voto nulo, nesse caso é útil e necessário.
Sandro Cunha dos Santos é professor

Nenhum comentário:

Postar um comentário