domingo, 23 de outubro de 2016

Ribeirão em Cena: Carta Manifesto aos Ribeirãopretanos



Carta manifesto aos Ribeirãopretanos

Uma resposta à dor, ao dolo e ao ato criminoso dos assassinos da arte!
Como é de conhecimento de todos, mais uma vez, a atual gestão de nossa cidade quase nos mata de desgosto.

Não bastasse todos os problemas vividos nesses últimos 8 anos, descaso total para com a população, acusações de desvios milionários, agora querem atacar uma das necessidades essenciais do ser humano...
QUEREM ASSASSINAR A ARTE!
O Ribeirão em Cena, projeto teatral que já existe há 15 anos, tendo formado mais 3.000 alunos e produzido por volta de 300 espetáculos, vive um de seus momentos mais complicados. Demitiram nossos professores, isso mesmo:
DEMITIRAM NOSSOS 5 PROFESSORES
Decisão acanalhada de uma gestão que, dia após dia, vem enfiando os pés pelas mãos numa tentativa de reverter sua imagem que alcança hoje, pavorosos 95% de desaprovação.
Essa decisão implica diretamente na nossa sobrevivência, quase impossibilitando a continuidade das atividades desenvolvidas por nós (REC), entre elas, a conclusão do curso de 95 bolsistas que vivenciam o teatro diariamente, nos períodos da manhã, tarde e noite, nessa que é uma das companhias mais antigas e tradicionais da cidade.
A secretaria de educação, setor responsável pela contratação de nossos professores, nos acusa de irregularidades que nem mesmo sabem dizer qual é.
Ao saber disso, exigimos que nos fosse apresentado o parecer do tribunal de contas pra que pudéssemos entender o que estamos fazendo de errado mas...pasmém, não existe parecer algum.
Nós estamos sendo prejudicados por achismos ou, se não for isso, pelo cinismo de uma gestão covarde que não consegue ou não quer se justificar!
Essa luta pela sobrevivência é, infelizmente, um problema que não atinge só o REC, mas também uma série de outros espaços destinados a arte como é o caso, entre outros, do projeto Kabuki.
Reunidos em assembleia, nós (alunos, ex-alunos e apoiadores do projeto) decidimos não aceitar passivamente mais esse ataque à cultura, decidimos tomar as ruas para manifestar nossa insatisfação e lutar pela sobrevivência da instituição.
Em reunião com os secretários de educação e cultura, foi proposto a nós uma trégua que se daria a partir da publicação de um documento conjunto aonde o Ribeirão em Cena se colocaria como parceiro e apoiador dessa gestão em troca de uma subjetiva ajuda da mesma para conseguir possíveis parcerias com a iniciativa privada. (Segundo eles a prefeitura está quebrada e não tem como nos ajudar financeiramente).
Antes mesmo que o conteúdo da reunião fosse levado ao corpo do REC para que todos pudessem opinar, as secretarias emitiram um parecer via mídias televisivas dizendo que o acordo já estava fechado, isso antes mesmo de ouvir nosso posicionamento final.
Por essas e outras que nós, coletivo do Ribeirão em Cena, dizemos publicamente NÃO à esse acordo.
Dizemos não porque esse é um problema da cultura ribeirãopretana como um todo e não seria justo resolver apenas o nosso lado.
Dizemos não porque é impossível confiar em uma gestão que não respeita à cultura em nenhuma instância, que não se preocupa minimamente com o nosso acesso, já muito restrito, à arte.
Dizemos não porque queremos pensar a arte dentro de uma perspectiva mais ampla, estabelecendo um diálogo com os outros coletivos culturais da cidade.
Nossas aulas agora serão nas ruas, vamos pra luta em busca daquilo que nos faz melhor
Por uma arte libertária a favor de toda a população
Contra o descaso e o desgosto de ver o teatro padecer
Pra valer nossos sonhos, nosso suor
Ser ouvido e poder dizer
Por mais investimento, espaços e momentos catárticos para toda a população
Em prol de um povo sofrido que só tem acesso ao lixo televisivo
Por uma cidade ativa, aonde o artista possa respirar, transgredir
Tentaram nos enterrar, mal sabiam que somos sementes, corações em brasa
Sonhos latentes, desejo pungente de revolucionar.
Não se trata só de nós, de sobrevivência, se trata de respeito a tudo que nos é tirado e deveria ser do povo por direito.
A arte transforma, a arte liberta. 
Nossa luta está só começando.
Coletivo Ribeirão em Cena

                                                                                     Foto: Acervo Ribeirão em Cena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário