quinta-feira, 10 de março de 2016

Quem abortou o sequestro de Lula na sexta-feira da vergonha? O país precisa saber!

Dois dias antes da sexta-feira da vergonha a revista Isto É divulgou trechos de uma possível delação premiada de Delcídio Amaral. No trecho divulgado, como esperado, a revista selecionou a parte que envolvia diretamente Lula e Dilma, omitindo a parte em que Aécio Neves também era delatado.

A mídia surfou na onda do escândalo e o próprio Aécio saiu exigindo a prisão de Lula e o impeachment da Dilma. Foi um claro movimento para 'esquentar as turbinas' para algo maior que todos eles sabiam que viria.

Como a repórter da revista ficou sabendo do conteúdo de uma possível delação sigilosa de posse exclusiva da Procuradoria-Geral da República?

Na sexta, às 4h da madrugada, equipes da Globo já estavam à postos em São Bernardo e no Ipiranga em São Paulo, respectivamente, no prédio de Lula e na sede do Instituto Lula. Um jornalista da Globo também de madrugada alterou seu perfil para uma foto de Sérgio Moro e escreveu que aguardava uma 'sexta esplendorosa'.

Em Curitiba, no início da manhã de sexta, Jair Bolsonaro grava um vídeo em frente à sede da Polícia Federal dizendo que esperava com um 'foguetaço' a chegada de Lula preso a Curitiba.

E vem a sexta da vergonha. Cerca de 300 policiais federais invadem ao mesmo tempo o apartamento de Lula, o Instituto Lula, os apartamento dos filhos de Lula, o apartamento de Paulo Okamoto e o apartamento da ex-deputada Clara Ant.

Lula é conduzido coercitivamente, sequestrado, junto com sua esposa, de maneira ilegal, até Congonhas, onde seria 'interrogado'. Na pista, um jato de portas abertas, com um carro da PF ao lado, aguardava.

Vivemos, depois de muita luta e muito sangue, em um Estado Constitucional de Direito, uma democracia, cambaleante, imperfeita, mas uma democracia. Inadmissível que este episódio "obscuro", nas palavras de Jânio de Freitas, permaneça envolto em mistério.

O Brasil precisa saber: quais eram as ordens dadas por Moro aos policiais? O Brasil precisa saber: por quê Lula foi levado até Congonhas? E o Brasil precisa saber: foi a Aeronáutica ou não que abortou o sequestro?

O Ministro Aldo Rebelo deve se pronunciar!

Havia mandado contra Lula e família? Quem vai investigar e punir, se for o caso, a atuação de Moro, MP e PF, ou eles estão acima da lei?

Onde está o Ministério da Justiça, morto há mais de 5 anos sob domínio de um ministro inoperante?

Uma democracia exige que tudo seja às claras! Passou da hora do STF tomar as suas responsabilidades nas mãos e chamar às falas um juiz de primeira instância que tem o despudor de frequentar eventos de empresário tucano, João Dória, e falar de política, economia e defender a própria investigação que faz! Vergonha!

O país precisa saber quem vaza as investigações sigilosas de maneira seletiva para a imprensa e por que nenhuma acusação contra tucanos é sequer investigada?

Jânio de Freitas, no seu artigo, compara a ação da PF na sexta da vergonha com a Operação Bandeirantes. É isso, golpe com ares de ditadura.

No evento do João Dória onde esteve 'discursando', o juiz de primeira instância, xerife do Brasil, fez coro com o PSDB e o Aécio e chamou as manifestações de domingo. Até onde iremos nessa escalada louca contra a democracia?

Ricardo Jimenez

Um comentário: