domingo, 26 de fevereiro de 2017

Sob comando tucano, entrega do pré sal e extinção do conteúdo nacional é uma traição a 54 milhões de votos!

Com o entorno de Michel Temer sendo abatido dia a dia cada vez que uma nova denúncia de corrupção vem à tona, o desgoverno vai cada vez mais ficando sob o controle do PSDB ligado a Aécio Neves e ligado aos ditames do capital internacional.


No setor de petróleo, onde se encontra uma das maiores riquezas nacionais, o pré sal, o controle tucano se dá desde o início com o privatista Pedro Parente.

200 bilhões de barris em reservas estão sendo entregues praticamente de graça para multis internacionais e até para estatais de países ricos, como a Noruega.

Agora é a vez da política de conteúdo nacional.

Uma política de conteúdo nacional é uma estratégia utilizada por todos os países que se enxergam em condições de se tornarem grandes e disputarem de igual para igual no mercado mundial. Nenhum país desenvolvido atualmente abriu mão dessa estratégia.

No setor de petróleo, a partir das jazidas do pré sal, a política de conteúdo nacional era a ferramenta para o Brasil desenvolver uma completa cadeia produtiva unindo produção, emprego e desenvolvimento tecnológico em setores estratégicos para a competição internacional. A formação de uma cadeia produtiva nacional proporciona um salto geopolítico para qualquer país.

Mas agora, depois de abrir o pré sal para as multis, a política tucana voltada para o petróleo acaba com o conteúdo nacional e vai extinguindo toda uma estrutura de pesquisa, desenvolvimento tecnológico, financiamento do parque industrial e naval e ceifando mais de 1 milhão de empregos, que serão gerados nos países que de agora em diante fornecerão as matérias-primas, equipamentos e serviços.

E o desgoverno Temer, sob o comando cada vez maior do PSDB, vai fazendo esse serviço do capital sem ter um único voto popular, sem ter discutido isso em uma eleição e ganho a permissão do voto popular para fazê-lo.

Ao contrário, a chapa Dilma/Temer venceu as eleições de 2014 com uma proposta exatamente contrária a do que esta que está sendo aplicada, o que torna ainda mais abjeta a conspiração e a traição de Temer. Ao conspirar pelo golpe e aplicar uma agenda neoliberal brutal no país sem a permissão do voto, Temer não traiu apenas Dilma, traiu 54 milhões de votos.

Blog O Calçadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário