sexta-feira, 21 de julho de 2017

120 mil defendem Lula e a democracia na Paulista!

Fotos Filipe Peres

Na noite fria de uma quinta-feira em São Paulo, 20/07, 120 mil pessoas foram à Paulista defender Lula e a democracia.

Segundo Jandira Feghali, PCdoB, "defender Lula contra uma perseguição e uma condenação sem provas é defender todos aqueles que sofrem perseguição e condenações injustas".

A data de ontem, onde diversas outras manifestações em defesa de Lula ocorreram em capitais e grandes cidades, marca o início de uma caminhada de Lula pelo país, iniciando pelo Nordeste. 

Lula buscará o diálogo com as diversas forças políticas e com a população, buscando construir um movimento que se contraponha à política entreguista, eliminadora de direitos e golpista que se instalou no país após a saída de Dilma.


Em sua fala, Lula destacou suas realizações como Presidente, um tempo onde "o povo era incluído no orçamento". Reafirmou seu desejo de contribuir com a elaboração de um projeto que resgate a democracia e o desenvolvimento com inclusão social. "Cada minuto de vida que eu tiver, vou gastar para que o povo reconquiste a democracia", afirmou.

Em referência à condenação proferida por Moro, que veio juntamente com o sequestro de seus bens e suas contas bancárias, Lula reafirmou que a intenção de Curitiba é tirá-lo da vida pública através de uma condenação sem provas. "Não podem me derrotar na política, então tentam me derrotar com esse processo. [...] se eles têm a Globo e a mídia para tentar me condenar, eu tenho a voz do povo para me defender", completou.

O blog entrevistou com exclusividade o ex-Ministro da Saúde Alexandre Padilha e ele deu o tom do que virá pela frente após esse dia 20 na Paulista.



Militantes, sindicalistas e lutadores populares de Ribeirão Preto também estiveram na Paulista no ato em defesa de Lula, enquanto que aqui o Comitê em defesa de Lula e dos Direitos realizou mais uma panfletagem no terminal central e anuncia um debate público para este sábado no calçadão central, às 10h.


Conforme a perseguição a Lula se intensifica, tanto por parte de Moro quanto por parte da mídia, a mobilização em torno de sua defesa cresce. O golpe relegou ao país e ao povo um governo antipopular, uma sociedade mais excludente e com menos direitos e uma economia em frangalhos. Lula é a memória de um tempo onde o povo tinha emprego, renda e orgulho de ser brasileiro.

Blog O Calçadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário