domingo, 23 de julho de 2017

Engenheiros da Petrobrás denunciam o desmonte da Estatal pelo governo golpista!


Os engenheiros da Petrobrás, através de sua associação, estão denunciando a gestão temerária do governo golpista, alicerçado na aliança entre PMDB e PSDB, desde que Pedro Parente, histórico quadro tucano ligado aos setores privatistas do partido, assumiu a Presidência da estatal.

Em um documento intitulado " Carta aberta à Sociedade Brasileira sobre a desintegraçãoda Petrobrás", os engenheiros alertam e afirmam:


- A atual gestão está gerando prejuízos à estatal ao desvalorizar seus ativos;
- A atual gestão tem aumentado o endividamento da empresa, já grande após a desvalorização do petróleo e do real frente ao dólar ocorridos entre 2012 e 2015;
- O abandono da política e conteúdo nacional, a entrega das jazidas de pré-sal (responsáveis por 50% da produção nacional) e a venda de ativos da empresa está destruindo as condições futuras da estatal tanto na capacidade de equacionar as dívidas quanto de operar uma política soberana na gestão do petróleo e no desenvolvimento tecnológico, construindo no Brasil uma completa cadeia produtiva no setor de petróleo e petroquímico;
- O corte brutal da política de investimentos pode interromper uma sequência histórica da empresa de crescimento na produção de barris de petróleo, inviabilizando a existência da estatal no médio prazo;
- O abandono da participação da estatal em refinarias tem elevado as importações de derivados, elevando os gastos em 79%;
- Enorme conflito de interesses envolvendo o atual Presidente Pedro Parente. Parente veio da Presidência da Bunge, holding que atua no ramo de combustíveis, fertilizantes e biocombustíveis e com amplo acesso aos interesses ligados aos mercados acionários e às multinacionais do setor petrolífero.


Nenhum comentário:

Postar um comentário